Opinião

Abrace o veganismo em 2021

Foto: Acervo Hatton Country World

Que tal abraçar o veganismo em 2021? Ou seja, ampliar a empatia, compaixão e respeito aos animais não humanos e ao planeta. Se podemos ser saudáveis e viver bem sem tomar parte na exploração e matança de animais, por que não tentar? Acredite, é mais fácil do que parece.

Com o crescimento do veganismo está cada vez mais fácil encontrar pessoas interessadas em auxiliar outras. Há cada vez mais informações disponíveis sobre como fazer uma transição para o veganismo, mas o primeiro passo, sem dúvida, é tentar já acreditando que é possível, que tudo vai dar certo. Até porque, se fazemos isso com má vontade ou pouco interesse dificilmente conseguimos perseverar.

Fortaleça sua motivação em relação ao veganismo e, caso necessite de mais estímulo, busque compreender um pouco melhor a dimensão do impacto de nossas ações contra os animais. A realidade deles é sempre mais difícil do que imaginamos, e tudo que eles vivem é consequência de nossas escolhas – sejam motivadas pelo lucro, comodidade ou prazer.

Nenhuma criatura morre feliz para servir como alimento humano

Quando não tomamos parte diretamente na violência, financiamos para que os outros a pratiquem por nós – já que a violência é inerente à cadeia de produção e consumo de alimentos e outros produtos de origem animal. Afinal, nenhuma criatura morre feliz para servir como alimento humano, certo? Ademais, há outros meios de subjugação não humana que são endossados pela displicência. Até porque infelizmente animais ainda são usados para as mais diversas finalidades.

Ao recusar-se a continuar contribuindo com esse sistema, imagine o número de animais que já não teriam sua exploração (que, de um modo ou de outro, culmina em morte) financiada por você. Talvez não pareça muito dependendo do recorte feito e da percepção que se tem dessa realidade. No entanto, se partirmos da perspectiva de que vidas importam, como isso pode não ser realmente significativo?

Como não reconhecer a importância do veganismo, que tem como premissa evitar mortes e salvar vidas? Imagine quantas vidas não humanas podem ser poupadas pela não violência nas nossas relações de consumo. E a cada pessoa que decide se opor à exploração animal, fortalecemos nossa caminhada em prol de um mundo mais justo, respeitoso e compassivo.

David Arioch

Jornalista e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário (MTB: 10612/PR)

Posts Recentes

A dor de ser bacon

Quando chegou em casa para o almoço, encontrou um porco na cozinha. Corpulento, ia de…

43 minutos ago

Queda na criação de aves estimula grupo avícola a investir em proteínas vegetais

A Louis Dreyfus Company (LDC), maior grupo avícola da França, anunciou este mês que estima…

21 horas ago

Aveda é reconhecida como marca livre de crueldade animal pela CFI

De acordo com informações da organização Cruelty Free International (CFI), a fabricante de cosméticos Aveda…

22 horas ago

PL que cria regime jurídico especial para os animais aguarda votação

O PL 6045/2019, dos deputados federais Ricardo Izar (Republicanos-SP) e Weliton Prado (Pros-MG), que propõe…

23 horas ago

Por que nunca mais comeu frango

Colocou um frango resfriado na cesta e sentiu líquido viscoso. Fez cara de nojo. Trocou…

1 dia ago

Serena Williams e Jake Gyllenhaal trocam ovo de galinha por ovo vegetal

A tenista Serena Williams e o ator Jake Gyllenhaal estão incentivando o consumo do ovo…

2 dias ago