Categorias: NotíciasSaúde

Dieta à base de vegetais pode reduzir declínio cognitivo

Foto: iStock

Segundo pesquisa divulgada este mês pela Associação Americana de Cardiologia, uma dieta à base de vegetais pode reduzir de forma bem significativa a taxa de declínio cognitivo.

A redução, segundo o estudo, é mais expressiva em afro-americanos do que em brancos, embora aponte que a mudança pode ser benéfica para qualquer pessoa. Os resultados foram apresentados em uma conferência da associação em Chicago.

O coordenador da pesquisa, Xiaoran Liu, disse que os negros enfrentam maiores riscos de desenvolvimento de problemas que afetam a saúde cognitiva por questões sistêmicas e sociais, já que têm acesso limitado a cuidados, medicamentos, alimentos nutritivos e outros recursos que podem reduzir esses riscos.

“Estudos anteriores descobriram que mudanças na dieta podem retardar o declínio cognitivo, mas poucas pesquisas analisaram o impacto em adultos negros, que enfrentam aproximadamente o dobro do risco de demência em comparação com adultos brancos”, frisa a entidade.

Outros estudos divulgados pela Associação Americana de Cardiologia associaram uma dieta à base de vegetais a um menor risco de acidente vascular cerebral, doenças cardíacas e diabetes tipo 2.

“A ciência está realmente mostrando a importância de uma dieta saudável à base de vegetais”, disse Maya Vadiveloo, professora-assistente de nutrição e ciências alimentares da Universidade de Rhode Island, acrescentando que bons alimentos à base de vegetais são realmente importantes para a nossa saúde em geral.

No novo estudo, os pesquisadores analisaram a dieta e o desempenho cognitivo ao longo de uma década de 4.753 adultos negros e brancos que tinham 74 anos em média no início da pesquisa.

Com base em suas pontuações de padrões alimentares autorrelatados, os participantes foram divididos em três grupos: aqueles com dietas saudáveis ​​à base de vegetais – ricas em frutas, vegetais, oleaginosas, grãos integrais, legumes, óleos vegetais, chá e café; aqueles com uma dieta à base de vegetais menos saudável que incluía sucos de frutas industrializados, grãos refinados, batatas, bebidas açucaradas e doces; e aqueles que fizeram uma dieta com gorduras animais, laticínios, ovos, carnes, peixes ou frutos do mar.

Os pesquisadores então usaram testes para medir a cognição geral, a velocidade perceptual e a memória episódica – a capacidade de recordar experiências pessoais associadas a um determinado tempo e lugar. As descobertas mostraram que a dieta à base de vegetais mais saudável retardou mais o declínio em todas as três áreas para adultos negros do que para adultos brancos.

O declínio cognitivo geral diminuiu 28,4% entre os adultos negros na faixa mais alta do grupo de alimentação mais saudável em comparação com seus colegas negros cuja dieta à base de vegetais não era tão saudável. Adultos negros e brancos nas outras duas categorias alimentares não mostraram desaceleração do declínio cognitivo geral.

O impacto da dieta na velocidade de percepção e na memória episódica foi ainda mais substancial para os adultos negros. Aqueles com uma dieta mais saudável à base de vegetais experimentaram um declínio 49,3% mais lento na velocidade perceptiva e um declínio 44,2% mais lento na memória episódica do que aqueles com uma dieta com mais alimentos de origem animal. As descobertas são consideradas preliminares até que um estudo completo seja publicado em um periódico revisado por pares.

Pode haver muitas explicações para a disparidade entre adultos brancos e negros, de acordo com o coordenador do estudo, Xiaoran Liu, lembrando que negros correm maior risco de problemas cardiovasculares que afetam a saúde cognitiva.

Portanto, reduzir esse risco com uma dieta à base de vegetais saudável para o coração pode ter um impacto mais evidente na saúde do cérebro do que em pessoas cujo risco é menor.

Vadiveloo, que não esteve envolvida na nova pesquisa, disse esperar que descobertas como essa motivem as pessoas à adoção de uma dieta mais saudável.

“Às vezes, as pessoas são motivadas por diferentes condições de saúde de forma distinta. A demência é bastante motivadora para os adultos, talvez até mais do que doenças cardíacas.”

Vale lembrar que em 2019 um estudo realizado em Singapura também destacou que uma dieta à base de vegetais pode reduzir o declínio cognitivo. Clique aqui para saber mais a respeito.

Gosta do trabalho da Vegazeta? Colabore realizando uma doação de qualquer valor clicando no botão abaixo: 

David Arioch

Jornalista e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário (MTB: 10612/PR)

Posts Recentes

Sue Coe: “Animais criados para consumo são estuprados toda vez que são inseminados”

Em um vídeo com duração de cinco minutos disponibilizado pela revista ArtForum com a artista…

20 horas ago

Santuário Filhos da Luz precisa de ajuda para não fechar as portas

O Santuário Filhos da Luz, de Tramandaí (RS), que abriga mais de 300 animais, entre…

21 horas ago

Museu Mineiro recebe festival vegano no dia 21

No domingo (21), das 11h às 18h, o festival vegano Paraíso Veg será no Museu…

23 horas ago

Consumir proteína animal é financiar um sistema perverso

No Brasil, a ordem de consumo de animais é a seguinte: frangos, suínos e bovinos,…

24 horas ago

Toda hora tem boi a caminho da morte

Um percurso de criaturas pacíficas num momento pacífico? E vão lado a lado, como se…

2 dias ago

Plataforma vegana oferece acesso gratuito a 90 filmes

A plataforma vegana de filmes por streaming VegMovies está oferecendo acesso gratuito a 90 filmes…

3 dias ago