Opinião

Como deixar de se alimentar de animais

Uma grande e ponderada mudança em nossos hábitos pode beneficiar os animais, o meio ambiente e nós mesmos (Acervo: Sunny Skiz)

Há pessoas que dizem que admiram o veganismo ou que gostariam de ser veganas, mas não sabem como deixar de se alimentar de animais ou não se veem abdicando desse consumo.

Para começar, é preciso ter em mente que ser vegano, rejeitar a exploração animal, é algo possível pra você. Mas claro que nem todo mundo tem a segurança em fazer uma curta transição de um alto consumo de alimentos de origem animal para a completa abstenção; e isso por motivos diversos.

“Mas então o que devo fazer se não consigo começar tirando a carne do meu prato?” Comece pelo que for mais fácil para você. Pense em quais são os alimentos de origem animal que menos faria falta agora. Há pessoas que não gostam muito de carnes, outras de laticínios, de ovos e por conseguinte.

Elabore uma lista

Elabore uma lista com os produtos que você mais consome, considerando predileção, e comece cortando em ordem inversa – anote e vá riscando até onde puder no menor prazo possível.

Estabeleça metas, porque assim, quando estiver em um ponto em que você já chegou aos “preferidos” alimentos de origem animal, poderá olhar para trás, reconhecendo que está a caminho do veganismo e terá sólidos motivos para não desistir. Mas faça isso de forma saudável e consciente, porque assim há mais confiança em não recuar.

Quando falamos em alimentos de origem animal, muitos, por predominância cultural, fazem uma associação direta com proteínas. Então pesquise sobre proteínas de origem vegetal que mais facilmente se adaptam à sua rotina, paladar e seu bolso – o que não é tão difícil se você consome carne, já que carne custa mais caro.

O que fazer com as dúvidas

Muitas pessoas não consideram o veganismo porque o julgam, de forma equivocada, como complicado demais ou pensam em como se sentiriam sem determinados alimentos e por isso nem cogitam qualquer tentativa.

Não esqueça que nosso paladar é mais adaptável do que pensamos, e uma grande e ponderada mudança em nossos hábitos pode beneficiar os animais, o meio ambiente e nós mesmos – transformando nossas vidas para melhor; o que inclui a descoberta de alimentos e sabores.

Quando puder, pesquise, a partir de referências confiáveis de profissionais e entidades representativas, sobre as melhores fontes vegetais de nutrientes para o nosso organismo funcionar da melhor forma possível (em relação a carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais). Isso também ajuda a dissipar dúvidas; além de manter sua motivação proporcionando mais segurança para seguir adiante.

David Arioch

Jornalista e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário (MTB: 10612/PR)

Visualizar comentários

  • Acho que é por aí mesmo! Devagar as pessoas vão tomando o conhecimento necessário, para se ter uma condição de fazer melhores escolhas para sí.

Posts Recentes

A dor de ser bacon

Quando chegou em casa para o almoço, encontrou um porco na cozinha. Corpulento, ia de…

1 hora ago

Queda na criação de aves estimula grupo avícola a investir em proteínas vegetais

A Louis Dreyfus Company (LDC), maior grupo avícola da França, anunciou este mês que estima…

22 horas ago

Aveda é reconhecida como marca livre de crueldade animal pela CFI

De acordo com informações da organização Cruelty Free International (CFI), a fabricante de cosméticos Aveda…

23 horas ago

PL que cria regime jurídico especial para os animais aguarda votação

O PL 6045/2019, dos deputados federais Ricardo Izar (Republicanos-SP) e Weliton Prado (Pros-MG), que propõe…

23 horas ago

Por que nunca mais comeu frango

Colocou um frango resfriado na cesta e sentiu líquido viscoso. Fez cara de nojo. Trocou…

1 dia ago

Serena Williams e Jake Gyllenhaal trocam ovo de galinha por ovo vegetal

A tenista Serena Williams e o ator Jake Gyllenhaal estão incentivando o consumo do ovo…

2 dias ago