Notícias

Reino Unido assume compromisso de proibir exportação de gado vivo

Lord Goldsmith: “É apenas o primeiro passo em nosso Plano de Ação para o Bem-Estar Animal, que transformará ainda mais a vida dos animais” (Foto: CIWF)

O governo britânico anunciou na semana passada que proibirá a exportação de gado vivo, assim como a venda de foie gras. Também assumiu o compromisso de reconhecer formalmente os animais como seres sencientes como parte de um plano de aperfeiçoamento das leis de bem-estar animal.

“Os animais vertebrados serão reconhecidos como seres sencientes pela primeira vez na legislação do Reino Unido, graças à introdução do Projeto de Lei de Bem-Estar Animal (Senciência), apresentado no Parlamento”, informa o governo em seu site.

Com a mudança na legislação, o Reino Unido passará a considerar que os animais têm inúmeras capacidades semelhantes às nossas.

“Reconhecer formalmente na lei que os animais são sencientes e experimentam sentimentos da mesma forma que os humanos é apenas o primeiro passo em nosso Plano de Ação para o Bem-Estar Animal, que transformará ainda mais a vida dos animais neste país e fortalecerá nossa posição como líder global”, disse o ministro do bem-estar animal, Lord Goldsmith.

Outras medidas incluem análise de proibição da importação de troféus de caça e proibição de importação e exportação de barbatanas de tubarão. “Agora que deixamos a UE, estamos livres para buscar os mais altos padrões de bem-estar animal do mundo”, destacou o ministro.

A diretora executiva da Humane Society International, Claire Bass, declarou que 45 das organizações de proteção animal mais respeitadas do Reino Unido uniram-se para cobrar a aprovação do reconhecimento dos animais como seres sencientes. “Suas emoções e bem-estar merecem consideração e proteção quando as leis são feitas”, frisou Claire.

“Esperamos que o Comitê recém-estabelecido seja eficaz em garantir que os ministros prestem a devida atenção à senciência animal ao formular e implementar políticas. Como uma nação de amantes dos animais, não devemos esperar nada menos do que conceder aos seres sencientes o reconhecimento legal que eles merecem”, comentou o gerente sênior de políticas da organização Compassion in World Farming, James West.

David Arioch

Jornalista e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário (MTB: 10612/PR)

Visualizar comentários

Posts Recentes

Plataforma vegana oferece acesso gratuito a 90 filmes

A plataforma vegana de filmes por streaming VegMovies está oferecendo acesso gratuito a 90 filmes…

11 horas ago

Chega ao Brasil colágeno vegano bioidêntico para produtos alimentícios e de beleza

Como muitos produtos dermocosméticos, incluindo as balas gummies, possuem em suas composições ingredientes de origem…

12 horas ago

O que leva alguém a trabalhar matando animais?

Há inúmeras respostas e inferências sobre o que leva a alguém a trabalhar matando animais.…

14 horas ago

Delivery vegano registra 70% de crescimento no Brasil

No primeiro trimestre de 2022, a foodtech de delivery vegano Veggi teve crescimento de 70%…

1 dia ago

Senado votará PL que proíbe uso de animais no ensino, pesquisa e desenvolvimento de cosméticos

Com parecer favorável do senador e relator Alessandro Vieira (PSDB-SE), o Projeto de Lei da…

1 dia ago

A pedido de consumidores, Argentina determina identificação de produtos veganos

O governo argentino anunciou esta semana a resolução 5/2022, publicada no Diário Oficial, que atualiza…

2 dias ago