Destaques

Porcos são animais incríveis

Entender melhor quem eles são é o caminho para aperfeiçoarmos uma percepção mais honesta em relação às suas características (Foto: Arthur’ Acres Animal Sanctuary)

Como porcos são animais reduzidos a alimentos e outros produtos é comum as pessoas subestimarem suas qualidades ou desconhecerem suas características. Exemplo é a equivocada crença de que porcos são animais bastante limitados, sujos e pouco inteligentes.

Nada disso é verdade, mas na sociedade humana a minimização das qualidades dos animais costuma ser utilizada, independente de veracidade, para facilitar a aceitação de que são “apenas criaturas disponíveis para o nosso uso e abuso”.

Entender melhor quem eles são é o caminho para aperfeiçoarmos uma percepção mais honesta em relação às suas características, além de um convite para repensar o que estamos fazendo, por exemplo, com os porcos, que são mortos aos milhões por mês somente no Brasil.

Suínos são animais sociais bem sensíveis e que tem muita facilidade para criar laços profundos, segundo a organização World Animal Protection. “Eles gostam mais de viver em grupos e são animais naturalmente muito pacíficos. Quando deixados sozinhos, juntam-se e dormem na sua posição preferida: focinho com focinho. Como as pessoas, geralmente dormem cerca de oito horas por dia, e os cientistas acreditam que eles também sonham.”

Mães gostam de construir ninhos para os filhos

A entidade explica que porcos são grandes comunicadores e utilizam até mais de 20 sons diferentes. “Pesquisadores notaram comunicações de avisos, saudações e até de fome. Porcos são falantes barulhentos. Seus guinchos ou gritos de dor ou angústia podem chegar a até 115 decibéis – mais alto do que o som de um jato supersônico.”

O que também revela a capacidade afetiva e social desses animais, como criam laços e zelam pelos seus, é o fato de que as porcas mães gostam de construir “ninhos” com materiais naturais como palha, grama, galhos e folhas para proteger seus bebês.

“Elas podem caminhar por até nove quilômetros para encontrar um local adequado para fazer seus ninhos”, explica a WAP, acrescentando que, dependendo da espécie, uma porca está pronta para ter bebês a partir dos 3 a 12 meses de idade e a gestação pode durar de 112 a 120 dias.

Desmame forçado de porcos

Logo após o nascimento, as porcas e seus bebês já desenvolvem grandes laços de afeto. “Normalmente ficam juntos no ninho por dez dias e os leitões são amamentados por suas mães até pararem gradualmente entre três e quatro meses de idade”, informa a World Animal Protection. No entanto, isso está longe de ser uma realidade usual no sistema industrial de criação de porcos, que responde pela maior parte de carne suína consumida no Brasil e no mundo.

“Os porcos criados em sistemas industriais são desmamados abruptamente, muitas vezes por volta dos 18 a 21 dias de vida”, lamenta a organização.

“Uma mãe porca chama seus leitões na hora de mamar, fala com eles por meio de grunhidos e guinchos e ‘canta’ para eles enquanto amamenta. Pesquisadores descobriram que os leitões são capazes de reconhecer a voz da mãe com apenas 36 horas de vida.”

Chafurdar na lama para regular a temperatura corporal

O hábito que os porcos têm de chafurdar na lama e na água para regular a temperatura corporal, já que eles não conseguem transpirar, criou o equívoco de que porcos são animais sujos.

“Nada poderia estar mais longe da verdade. Estar limpo é muito importante para os porcos. Se tiverem espaço e liberdade suficientes, os porcos nunca irão defecar perto de suas áreas de chafurdar, dormir ou comer, e até mesmo os leitões recém-nascidos vão ao banheiro longe do ninho”, garante a World Animal Protection, citando ainda que a lama oferece aos porcos uma proteção natural contra o sol.

Porcos são animais inteligentes

Hoje também é fácil encontrar estudos científicos que identificam porcos como animais inteligentes.

“A inteligência dos porcos e suas ótimas memórias estão bem documentadas. Pesquisadores da Penn State University, nos Estados Unidos, colocaram uma bola, um frisbee e um haltere na frente de vários porcos e os ensinaram a pular, sentar-se ao lado ou pegar qualquer um dos objetos quando solicitado. Os porcos podiam distinguir entre os objetos três anos depois da experiência.”

Em outro estudo, cientistas da Universidade de Illinois descobriram que os porcos aprendiam por tentativa e erro como ligar o aquecimento em um estábulo frio. Eles também desligavam quando estava muito quente.

“Além disso, os pesquisadores descobriram que os porcos podem reconhecer e lembrar de pessoas e de até 30 outros porcos diferentes”, complementa a organização World Animal Protection.

(Foto: Arthur’ Acres Animal Sanctuary)
David Arioch

Jornalista e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário (MTB: 10612/PR)

Visualizar comentários

Posts Recentes

O que é a carne?

O que é a carne? Sempre que falamos em carne é mais comum uma primeira…

17 horas ago

Como a violação sexual de animais pode ser normalizada?

Como a violação sexual de animais pode ser institucionalizada e normalizada? Quando fala-se em “reprodução…

2 dias ago

Por que comemos criaturas de vontades?

Não é difícil olhar para um animal e reconhecê-lo como criatura de vontades, porque seu…

3 dias ago

Quem se importa com o sofrimento dos frangos?

No Brasil, há sempre mais frangos sendo transportados para os matadouros do que bovinos e…

4 dias ago

Brasília: Picnik Festival terá área vegana coordenada mais uma vez pela FALA

Em uma edição especial no mês das tradicionais festas juninas, o Picnik Festival terá novamente…

4 dias ago

SP: VegNice realiza mais uma Festa Junina Vegana

No domingo (26), o bairro da Liberdade, em São Paulo (SP), recebe mais uma Festa…

4 dias ago