Categorias: DestaquesNotícias

Relatório expõe piores impactos da pecuária na saúde

“A gripe suína e aviária são apenas dois exemplos de doenças que tiveram origem em fazendas industriais intensivas e causaram impactos devastadores na saúde humana” (Foto: Jo-Anne McArthur/We Animals)

Na semana passada, a organização Proteção Animal Mundial publicou um relatório de 78 páginas que expõe os impactos da pecuária industrial para a saúde, e acusa governos de ignorarem esses perigos e o sofrimento de bilhões de animais.

“Um pequeno grupo de empresas multinacionais está consolidando sua concentração do sistema global de alimentos industriais, uma vez que a demanda por carne continua crescendo, e os governos fecham os olhos ou, em alguns casos, apoiam e promovem a destruição”, acusa a entidade no documento.

“A gripe suína e aviária são apenas dois exemplos de doenças que tiveram origem em fazendas industriais intensivas e causaram impactos devastadores na saúde humana. Estamos vivendo a pior pandemia dos últimos 100 anos, mas o pior ainda está por vir, com os habitats da vida selvagem sendo derrubados para abrir espaço para a pecuária, causando risco de propagação de doenças entre animais silvestres e de produção, e deles para os seres humanos”, avalia.

Em relação ao Brasil, a situação é classificada como alarmante porque tudo indica que o consumo de carne crescerá pelo menos 12% na América Latina até 2030.

“A pecuária industrial intensiva está nos deixando doentes. Ainda que a percepção de preço varie subjetivamente, a indústria busca produzir carne, peixe e laticínios pelo menor custo possível. Mas para isso exclui do preço ao consumidor final custos pelos quais deveria se responsabilizar, como os referentes aos danos ambientais diretos e indiretos, à baixa qualidade nutricional de alimentos processados, aos riscos sanitários, aos problemas trabalhistas, entre outros”, comenta José Ciocca, da Proteção Animal Mundial.

No relatório, a organização lamenta que a crescente demanda coloque bilhões de animais estressados, mutilados e confinados em ambientes estéreis por toda a vida. “Mais de 70% dos 80 bilhões de animais terrestres criados globalmente são mantidos e abatidos em sistemas cruéis de criação industrial a cada ano”, critica.

O documento também cita os impactos na saúde física e mental dos trabalhadores, incluindo más condições nas instalações de abate, processamento e embalagem de carne, lesões físicas e problemas de saúde psicossocial e mental.

“Precisamos quebrar o ciclo de sofrimento do nosso sistema alimentar. O apoio do governo à carne barata está se equiparando a mais animais sendo abatidos em fazendas industriais intensivas. Agora é a hora dos líderes se concentrarem em melhores resultados de saúde para as pessoas, os animais e o planeta”, afirma Jacqueline Mills, Head de Campanha de Animais de Fazenda na Proteção Animal Mundial.

Entre as mudanças sugeridas no relatório estão a reorientação de subsídios da pecuária industrial intensiva para práticas humanas e sustentáveis; apoio a esforços para reduzir significativamente a produção e o consumo de carne e laticínios em países com alta média de consumo por pessoa; melhorar a acessibilidade dos alimentos à base de plantas; e fornecer apoio à transição aos agricultores que não desejam mais se envolver com o sistema industrial intensivo.

Segundo a Proteção Animal Mundial, a indústria de alimentos precisa abraçar um futuro sustentável, voltado às dietas predominantemente à base de vegetais.

“A Organização Mundial de Saúde adverte que estamos enfrentando uma crise sanitária de bactérias multirresistentes. A pecuária industrial intensiva é a principal responsável por isso, já que os animais de produção são tratados indiscriminadamente com antibióticos para sustentar um sistema cruel, criando bactérias multirresistentes que saltam para os humanos e se tornam mortais.”

Gosta do trabalho da Vegazeta? Colabore realizando uma doação de qualquer valor clicando no botão abaixo: 

David Arioch

Jornalista e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário (MTB: 10612/PR)

Posts Recentes

O que é a carne?

O que é a carne? Sempre que falamos em carne é mais comum uma primeira…

17 horas ago

Como a violação sexual de animais pode ser normalizada?

Como a violação sexual de animais pode ser institucionalizada e normalizada? Quando fala-se em “reprodução…

2 dias ago

Por que comemos criaturas de vontades?

Não é difícil olhar para um animal e reconhecê-lo como criatura de vontades, porque seu…

3 dias ago

Quem se importa com o sofrimento dos frangos?

No Brasil, há sempre mais frangos sendo transportados para os matadouros do que bovinos e…

4 dias ago

Brasília: Picnik Festival terá área vegana coordenada mais uma vez pela FALA

Em uma edição especial no mês das tradicionais festas juninas, o Picnik Festival terá novamente…

4 dias ago

SP: VegNice realiza mais uma Festa Junina Vegana

No domingo (26), o bairro da Liberdade, em São Paulo (SP), recebe mais uma Festa…

4 dias ago