Categorias: NotíciasProdutos

Startup recebe megainvestimento para produzir alternativas aos peixes e frutos do mar

“Esta última rodada de financiamento nos permitirá continuar avançando em nossa missão e na próxima fase de nossos planos de comercialização” (Fotos: BlueNalu/Divulgação)

Esta semana, a startup BlueNalu, sediada em San Diego (CA), nos EUA, informou que arrecadou o equivalente a mais de R$ 315 milhões para produzir alternativas aos peixes e frutos do mar a partir de células cultivadas.

A intenção, ao dedicar-se à aquacultura celular, segundo a empresa, é ajudar a reduzir a captura ou abate de animais, assim como o impacto da chamada “pesca acidental”, comum na pesca comercial.

Vale lembrar que desde 2018 a startup tem atraído investidores. Primeiro, os investimentos recebidos foram equivalentes a mais de R$ 24 milhões. Já em 2020, a BlueNalu captou mais de R$ 107 milhões.

Os mais recentes recursos serão utilizados para a startup aproximar seus produtos da realidade comercial. Ou seja, inaugurar uma instalação de produção e garantir aprovação da FDA, agência reguladora dos EUA, para então começar a disponibilizar seus primeiros produtos no mercado de food service.

BlueNalu mira mercado global

“Esta última rodada de financiamento nos permitirá continuar avançando em nossa missão e na próxima fase de nossos planos de comercialização, à medida que desenvolvemos parcerias estratégicas que nos fornecerão um alcance de mercado global nos próximos anos”, diz o CEO da BlueNalu, Lou Cooperhouse.

Segundo ele, a BlueNalu está comprometida em produzir peixes e frutos do mar a partir de células e que sejam saudáveis para os consumidores, benéficos ao bem-estar dos animais, sustentáveis para o planeta e que contribuam para aumentar a segurança alimentar nos países onde a startup atua ou pretende atuar.

Um dos membros do conselho consultivo da startup é o filho do renomado conservacionista Jacques Cousteau, Pierre-Yves Cousteau, que tem uma relação muito pessoal com o mar e decidiu se juntar à equipe porque, em suas palavras, a BlueNalu tem condições de favorecer a sustentabilidade dos oceanos, além de oferecer produtos mais saudáveis.

David Arioch

Jornalista e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário (MTB: 10612/PR)

Posts Recentes

PL propõe campanha nacional de conscientização sobre câncer em animais

Um projeto de lei apresentado pelo deputado federal Cássio Andrade (PSB-PA) propõe a criação de…

2 horas ago

Um relato sobre a dor dos frangos antes do abate

Você já deve ter visto caminhões transportando frangos. Eles são colocados em caixas e dividem…

5 horas ago

Foodtech sueca lança leite de batata

Em vez de lançar um produto baseado em algum ingrediente que já tem se tornado…

8 horas ago

Separada do bezerro, uma vaca mugiu por semanas

Separada do bezerro, uma vaca mugiu por semanas. Tentaram “de tudo”, menos trazer o filhote…

23 horas ago

Organizações fazem apelo para que consumidores não comam peixes

Em carta aberta, mais de 20 organizações estão fazendo um apelo para que consumidores do…

1 dia ago

Segundo relatório, há uma “revolução de carnes vegetais”

Um relatório da KVB Research divulgado esta semana afirma que está havendo uma “revolução de…

1 dia ago