Relatório aponta que agropecuária comprometerá futuro abastecimento global de alimentos

Foto: Greenpeace

Uma das maiores empresas de consultoria e auditoria em larga escala do mundo, a PwC publicou em outubro um relatório intitulado “The Coming Sustainable Food Revolution”, em que aponta que a agropecuária comprometerá o futuro abastecimento global de alimentos.

Segundo o relatório, práticas agrícolas insustentáveis necessárias para suprir a alta demanda por carne são uma grande ameaça ao futuro da produção de alimentos. A publicação destaca a importância de uma mudança de hábitos alimentares para minimizar os impactos da produção de alimentos no meio ambiente e o desperdício de recursos naturais.

Do contrário, as gerações futuras enfrentarão grandes dificuldades para produzirem alimentos. O relatório avalia que hoje há uma mudança ainda lenta em relação à importância de uma dieta mais baseada em vegetais, e chama atenção para a necessidade de ações que enfatizem mais a urgência dessa mudança.

O relatório destaca também que hoje cerca de 80% de todas as terras agrícolas são usadas direta ou indiretamente para a produção de carne. A publicação classifica a produção de carne como uma prática ineficiente de produção de alimentos em comparação com o cultivo de vegetais que, dependendo da variedade e do sistema, pode ter um impacto até 100 vezes menor em relação ao uso de recursos.

Em “The Coming Sustainable Food Revolution” o principal alerta é sobre a importância da sustentabilidade alimentar e de influenciar os consumidores a fazerem melhores escolhas, destacando os verdadeiros custos dos alimentos. A mensagem central é que o atual sistema alimentar não é sustentável se pensamos principalmente em proteína animal.

O relatório também ressalta que a indústria de alimentos é responsável por dois terços do consumo global de água doce e um quarto de todas as emissões de gases de efeito estufa, e isso é elevado pela demanda por proteína animal.

“Se o mundo continuar investindo pesadamente na forma menos produtiva de produção de alimentos, corremos o risco de duplicar um modelo que é insustentável”, consta na publicação.

Jornalista (MTB: 10612/PR), especialista em jornalismo cultural, histórico e literário e mestre em Estudos Culturais (UFMS).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *