Animais perceberam que a barragem da Vale estava prestes a se romper

Carlos Alberts: "Os animais não erram, eles percebem antes da gente”

Animais já sabiam que algo muito grave aconteceria (Foto: Wilton Júnior/Estadão)

Esta semana, inúmeros sobreviventes relataram que antes do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG), animais como bovinos, aves e cães começaram a agir de forma estranha.

Em entrevista ao UOL, o professor de zoologia e comportamento animal da Universidade Estadual Paulista (Unesp) Carlos Alberts explicou que os movimentos gerados pelo rompimento da barragem emitem infrassons ou sons extremamente baixos que vibram em uma frequência que o ouvido humano não consegue captar.

“A barragem não rompe de uma vez só. Ela tem movimentos anteriores ao rompimento completo”, explicou. Segundo Alberts, o que também pode ter influenciado a percepção dos animais foi o contato direto das patas ou dos pés com a terra.

“A galinha é uma ave, pode ter notado a mudança do ar. As massas de ar são deslocadas quando a barragem é rompida. Também podem notar modificações de cheiro. Elas são muito sensíveis e dependem de perceber essas coisas para sobreviver. Os animais não erram, eles percebem antes da gente”, enfatizou o professor ao UOL.

Quem também endossou a justificativa de Carlos Alberts foi o sondador Lieuzo Luis dos Santos em entrevista à TV Globo. O sobrevivente relatou que não ouviu nenhum som antes do rompimento da barragem, mas percebeu que bois e vacas correram antes que o chão abrisse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here