Artista pede libertação para animais reduzidos a alimentos

Monica Quiñones: “Os animais criados com fins alimentícios são os mais ignorados e menos respeitados do planeta”

“Minha missão é criar consciência por meio da arte, expondo a exploração de animais humanos e não humanos com ênfase em mais compaixão e empatia” (Ilustrações: Monica Quiñones)

A artista vegana Monica Quiñones tem usado suas ilustrações para defender a libertação dos animais que exploramos para consumo. Ela chama atenção para a situação das espécies que reduzimos a alimentos, produtos, entretenimento e meio de transporte, entre outros fins, apenas por conveniência.

“Minha missão é criar consciência por meio da arte, expondo a exploração de animais humanos e não humanos com ênfase em mais compaixão e empatia”, explica Monica. E acrescenta: “Os animais criados com fins alimentícios são os mais ignorados e menos respeitados do planeta.”

Em suas obras, a artista vegana mostra os animais não humanos em duas situações – uma em que são submetidos à exploração e outra que retrata um cenário ideal de liberdade. Ou seja, livres da má intervenção humana que visa o lucro e um prazer fundamentado na subjugação.

Devemos refletir sobre nossas responsabilidades

Se hoje não somos capazes de garantir a libertação dessas criaturas, principalmente aquelas criadas às dezenas de bilhões por ano para atender a primazia do paladar humano, devemos pelo menos tentar conscientizar o maior número possível de pessoas para que entendam que são nossos hábitos de consumo que financiam essa realidade que garante a manutenção da violência contra tantos indivíduos não humanos.

É o que Monica Quiñones também encoraja por meio de suas ilustrações, que coloca o espectador em situação de refletir sobre suas responsabilidades em relação às outras espécies sobre as quais há pouca consideração.

Devemos desestimular esse arbitrário consumo

Sem dúvida, é inegável que um importante caminho visando uma maior mudança futura é desestimular esse arbitrário consumo para que menos animais sejam criados com fins de exploração, até que chegue o dia em que muitos que defendem os direitos animais possam olhar ao seu redor e perceber que a transformação foi tão grande que uma nova consciência predominante de respeito à vida não humana foi instaurada.

Em consequência, será ainda mais fácil extinguir, de uma vez por todas, a conveniente irreflexão que excluiu os outros animais do nosso círculo de consideração moral e que por tanto tempo garantiu à humanidade um suposto direito de explorar criaturas que foram privadas de qualquer escolha apenas por serem inferiorizadas por nós, logo submetidas de forma cesarista aos nossos interesses.

Acompanhe o trabalho da artista Monica Quiñones nas redes sociais:

Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here