Belgas estão mais satisfeitos com as alternativas à carne

“Um número crescente de indivíduos na Bélgica está trocando a carne pelas alternativas à base de vegetais"

“De muitas maneiras, os dados dessa pesquisa confirmam o que muitos de nós podemos ver nos supermercados” (Foto: Lauri Patterson/Getty)

De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Bath em parceria com a organização Gaia, a quantidade de belgas mais satisfeitos com as alternativas à carne subiu para 51% em 2020. O percentual é baseado em entrevistas com mil pessoas.

“Um número crescente de indivíduos na Bélgica está trocando a carne pelas alternativas à base de vegetais”, destaca um comunicado oficial da Universidade de Bath, acrescentando que preocupações envolvendo agropecuária e meio ambiente estão influenciando novas escolhas alimentares.

“De muitas maneiras, os dados dessa pesquisa confirmam o que muitos de nós podemos ver nos supermercados: alternativas à carne e a outros produtos de origem animal estão em ascensão”, diz o coordenador da pesquisa, Dr. Chris Bryant, do Departamento de Psicologia da Universidade de Bath.

A iniciativa também revelou que 40% dos consumidores belgas comprariam carne cultivada a partir de células in vitro. Os homens demonstraram maior interesse pelo produto enquanto as mulheres destacam-se no interesse por alternativas à base de vegetais. Na Bélgica, a região do Flandres é a mais receptiva às proteínas alternativas.

Produção de carne e problemas éticos, ambientais e de saúde

“Em apenas um ano, vimos um aumento significativo do número de consumidores belgas satisfeitos com alternativas à base de vegetais, com o percentual passando para pouco mais da metade em 2020”, frisa Bryant.

Coautor do estudo e consultor da Gaia, Hermes Sanctorum destaca que hoje é de conhecimento público que a produção de carne é um fator-chave para uma série de problemas éticos, ambientais e de saúde pública.

“É uma boa notícia que estamos vendo os consumidores se voltando para as alternativas [aos alimentos de origem animal]. O que já temos – alternativas à base de vegetais que são cada vez mais populares. O que está por vir – a carne cultivada – que tem um potencial estável. E ambas as opções parecem se complementar como solução, de acordo com nosso estudo, uma vez que são atrativas para diferentes categorias de consumidores”, conclui Sanctorum.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here