Cheavon Clarke: “Há um mito de que um grande atleta não pode ser vegano”

“Disseram que eu nunca deixaria de comer carne", disse o pugilista que está representando a Grã-Bretanha nas Olimpíadas de Tóquio

“Assisti ‘The Game Changers’ e me senti pronto, realmente parei de comer carne”

Representando a Grã-Bretanha, o boxeador Cheavon Clarke está promovendo uma dieta à base de vegetais nas Olimpíadas de Tóquio. “Há um mito de que um grande atleta não pode ser vegano”, disse Clarke em um vídeo disponibilizado esta semana pela BBC Sport.

No caso do boxeador, que não come nada de origem animal e faz questão de mostrar a outros atletas que a transição pode surpreendê-los de forma positiva, a mudança veio com o documentário “The Game Changers”, lançado no Brasil pela Netflix com o título “Dieta de Gladiadores”.

“Disseram que eu nunca deixaria de comer carne, mas assisti ‘The Game Changers’ e me senti pronto, realmente parei de comer carne”, declarou o pugilista em entrevista ao The Times, acrescentando que antes da transição ele comia carne de frango todos os dias.

De origem jamaicana, Cheavon Clarke destacou que a mudança na dieta não foi nada difícil. “Na Jamaica, a comunidade rastafari não come carne, eles são basicamente veganos e vivem da terra, então foi fácil para mim.”

O atleta também destacou que há pessoas que tendem a dar a impressão de que a carne é essencial e que os vegetais nem tanto, ignorando que até mesmo a carne fica sem gosto sem os ingredientes de origem vegetal. “Se você cozinhar carne sem temperar, você não vai gostar”, reforçou.

Segundo Cheavon Clarke, já o alertaram que, como atleta, ele poderia sofrer com perda de desempenho, mas não foi o que aconteceu e sua participação nas Olimpíadas é uma prova disso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here