NFL: Com dieta à base de plantas, Titans elimina Patriots

Segundo o Titans, uma dieta à base de plantas tem garantido mais saúde, melhor condicionamento físico e mais força aos atletas

“Parece loucura, eu sei, mas será que foi por isso que os Patriots perderam ontem à noite?” (Foto: Charles Krupa/Associated Press)

No final de semana, o New England Patriots, seis vezes campeão do Super Bowl, da NFL, principal liga de futebol americano, foi eliminado pelo Tennessee Titans, um clube em que os jogadores estão seguindo uma dieta à base de plantas.

“Parece loucura, eu sei, mas será que foi por isso que os Patriots perderam ontem à noite?”, questionaram alguns comentaristas esportivos no último domingo (5). Os atletas do Titans começaram a adotar de forma massiva uma dieta livre de alimentos de origem animal em 2018, e desde então isso tem estimulado outros atletas e clubes da NFL.

Segundo o Titans, uma dieta à base de plantas tem garantido mais saúde, melhor condicionamento físico e mais força aos atletas. Em 2019, alguns dos jogadores do clube participaram do documentário “The Game Changers”, lançado como “Dieta de Gladiadores” no Brasil, que mostra como essa dieta tem contribuído com o desempenho de inúmeros atletas. O filme está disponível na Netflix.

No caso do clube do Tennessee, a iniciativa de estimular os atletas a seguirem por esse caminho partiu do linebacker Derrick Morgan que em 2016 começou a seguir uma dieta à base de plantas.

Um dia, quando os jogadores do Titans se reuniram na casa de Derrick, eles sentiram o cheiro da comida preparada por Charity Morgan, esposa do linebacker que é cozinheira profissional, qualificada pela Le Cordon Bleu. Gostaram tanto do que viram e comeram que, assim como Morgan, não voltaram atrás na decisão de não se alimentar de animais.

Para o café da manhã e o almoço, Charity prepara refeições que são versões vegetais daquilo que os jogadores estão acostumados a comer. “Superar as noções preconcebidas é o mais importante. Também já fui assim. Eu costumava acreditar que os atletas tinham de comer carne para continuar no jogo, então me reeduquei”, disse Derrick Morgan à ESPN.

A princípio o atleta foi alvo de piadinhas, mas com o tempo se tornou uma boa referência no assunto. Não é à toa que nos últimos quatro anos o número de atletas da NFL que abdicaram de se alimentar de animais cresceu bastante, segundo a ESPN. A justificativa? Melhores resultados no treino e nos jogos, além de conseguirem prolongar a carreira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here