Notícias

Contra a caça e a pecuária, ativistas tingem de vermelho fonte do Palácio de Buckingham

Protestos começaram após a divulgação de um relatório revelando que ministros escoceses foram pressionados pela Rainha Elizabeth II para alterarem um projeto de lei que visa o combate às mudanças climáticas (Foto: Animal Rebellion)

Nesta quinta-feira (26), quarto dia de protestos do movimento Animal Rebellion em Londres, vários ativistas foram presos depois de tingirem de vermelho a fonte do Victoria Memorial, situado no Palácio de Buckingham.

Os protestos começaram após a divulgação de um relatório revelando que ministros escoceses foram pressionados pela Rainha Elizabeth II para alterarem um projeto de lei que visa o combate às mudanças climáticas.

A modificação garante à família real que suas terras fiquem isentas de um compromisso de medidas a serem adotadas para redução de emissões de carbono.

“A família real é a maior proprietária de terras do Reino Unido e optou por usá-las para a pecuária e a caça, que não apenas dizimam nosso meio ambiente, mas causam a morte de milhões a cada ano. É hora de um novo sistema baseado na justiça e na compaixão, e a família real deve liderar o caminho”, diz a porta-voz do movimento, Harley McDonald-Eckersall.

“É hora de um novo sistema baseado na justiça e na compaixão, e a família real deve liderar o caminho” (Foto: Animal Rebellion/Divulgação)

Animal Rebellion defende outro uso para a terra

Vale lembrar que a família real é alvo de protestos de grupos de direitos animais há décadas por seu apoio à caça, corrida e comércio de peles. Isso, segundo o Animal Rebellion, é mais um motivo para a manifestação, assim como o impacto da pecuária.

“As terras da coroa britânica devem ser usadas para cultivar alimentos saudáveis e nutritivos para todos e fornecer lares para os animais com os quais compartilhamos este país”, frisa McDonald-Eckersall. “Estamos exigindo que a rainha acabe com o uso das terras da coroa para indústrias que estão contribuindo para a emergência climática e com a morte de animais.”

Saiba Mais

Os protestos do movimento Animal Rebellion, que defende uma transição para um sistema alimentar à base de vegetais e sem violência contra animais, terão duração de duas semanas.

Gosta do trabalho da Vegazeta? Colabore realizando uma doação de qualquer valor clicando no botão abaixo: 

David Arioch

Jornalista e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário (MTB: 10612/PR)

Posts Recentes

Plataforma vegana oferece acesso gratuito a 90 filmes

A plataforma vegana de filmes por streaming VegMovies está oferecendo acesso gratuito a 90 filmes…

12 horas ago

Chega ao Brasil colágeno vegano bioidêntico para produtos alimentícios e de beleza

Como muitos produtos dermocosméticos, incluindo as balas gummies, possuem em suas composições ingredientes de origem…

14 horas ago

O que leva alguém a trabalhar matando animais?

Há inúmeras respostas e inferências sobre o que leva a alguém a trabalhar matando animais.…

15 horas ago

Delivery vegano registra 70% de crescimento no Brasil

No primeiro trimestre de 2022, a foodtech de delivery vegano Veggi teve crescimento de 70%…

2 dias ago

Senado votará PL que proíbe uso de animais no ensino, pesquisa e desenvolvimento de cosméticos

Com parecer favorável do senador e relator Alessandro Vieira (PSDB-SE), o Projeto de Lei da…

2 dias ago

A pedido de consumidores, Argentina determina identificação de produtos veganos

O governo argentino anunciou esta semana a resolução 5/2022, publicada no Diário Oficial, que atualiza…

2 dias ago