Deputado quer barrar abate de jumentos na Bahia

Ação sustenta que a portaria da Adab incentiva maus-tratos aos animais e traz risco à saúde pública em meio à pandemia de coronavírus

Abate comercial fez declinar 46% da população de jumentos no país (Foto: Polícia Civil)

O deputado federal Célio Studart (PV-CE) entrou com ação popular na Justiça Federal em Salvador (BA) para barrar o abate de jumentos. Na peça, o parlamentar pede anulação de portaria de órgão estadual que disciplina os procedimentos para controle e fiscalização de trânsito de equídeos para abate.

A ação, com pedido de liminar de tutela de urgência, implica diretamente a Agência de Defesa Agropecuária do Estado da Bahia (Adab), que editou a portaria 13/2020, e indiretamente o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), bem como empresas e frigoríficos que fazem a comercialização de produtos que são processados após o abate.

A peça sustenta que a portaria da Adab incentiva maus-tratos aos animais, favorece a extinção da espécie e traz risco à saúde pública em meio à pandemia de coronavírus.

Segundo o documento, os réus praticaram atos em discordância ao preceito constitucional previsto no artigo 225 da Constituição, que versa sobre a obrigação de manutenção do meio ambiente equilibrado, além de submeter animais à crueldade.

Entre outros pontos, a ação alerta para o declínio da população de jumentos no país – 46% em uma janela de apenas cinco anos. Além disso, traz manifestação do Conselho Regional de Medicina Veterinária e Zootecnia da Bahia (CRMV-BA). Segundo a entidade, se os abates continuarem a ocorrer no país, em quatro anos a população de jumentos estará extinta.

Clique aqui e saiba mais sobre a realidade dos jumentos no Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here