Dieta vegetariana pode ser uma aliada no combate à depressão

"Descobriu-se que onívoros que evitaram peixes e outras carnes por duas semanas tiveram melhorias de humor, incluindo [redução de] estresse”

Dieta vegetariana e saudável pode ter um poderoso papel no tratamento da depressão (Acervo: Irony Poisoning)

Recentemente, o médico estadunidense Thomas Campbell, diretor médico do T. Colin Campbell Center for Nutrition Studies e diretor médico da Universidade de Rochester, republicou o seu artigo “Diet to fight depression?”, publicado originalmente no Center for Nutrition Studies em 2015.

No artigo, Thomas Campbell faz o seguinte questionamento: “E se a combinação de más escolhas alimentares e estilo de vida estiverem causando a depressão?” No trabalho, o autor deixa claro que a depressão pode ter diversas causas, mas propõe uma reflexão sobre a maneira como as pessoas se alimentam, já que a maioria dificilmente considera a própria alimentação como um dos fatores que podem desencadear ou agravar um quadro de depressão.

O médico cita a realidade dos Estados Unidos, onde 11% da população já consumia antidepressivos a partir dos 12 anos em 2012, e ao mesmo tempo está entre as populações com grandes índices de maus hábitos alimentares. “Na minha opinião, isso não é apenas emocional, isso é físico também”, declara e enfatiza que é comum a depressão levar pessoas a fazerem más escolhas alimentares ou a não se preocuparem com a ingestão adequada dos nutrientes que o organismo demanda para se manter saudável.

Campbell destaca que em um estudo realizado em Chicago com idosos que há sete anos não sentiam os sintomas da depressão, foi registrado que eles estavam seguindo uma dieta de inspiração mediterrânea, baseada principalmente em frutas, vegetais, grãos integrais, legumes e azeite. O mesmo resultado foi obtido em um estudo da Universidade de Navarra, em Pamplona, na Espanha.

“Sabemos que a síndrome metabólica e vários distúrbios psicológicos ocorrem frequentemente em conjunto e compartilham características comuns, como aumento dos níveis de inflamação crônica e de sistemas hormonais desregulados. Dieta e estilo de vida afetam mecanismos intermediários, como inflamação e nosso equilíbrio hormonal”, informa.

Thomas Campbell referencia outro estudo intitulado “Restriction of meat, fish, and poultry in omnivores improves mood”, de BL Beezhold e CS Johnston, publicado em 2012 no Nutrition Journal. “Descobriu-se que onívoros que evitaram peixes e outras carnes por duas semanas tiveram melhorias de humor, incluindo [redução de] estresse”, frisa.

À mesma conclusão chegou o “The China Study”, do bioquímico T. Colin Campbell, doutor em bioquímica, nutrição e microbiologia – um estudo com duração de 20 anos realizado junto à Academia Chinesa de Medicina Preventiva, Universidade Cornell e Universidade de Oxford. O trabalho, publicado originalmente em 2006, e que se tornou um best-seller elogiado pelo New York Times e pelo Washington Post, defende que uma dieta vegetariana saudável é a ideal para a prevenção e tratamento de doenças.

“O Princípio 8 do The China Study é que todas as coisas estão conectadas: nossa saúde física, mental e emocional; nutrição e atividade física; espiritualidade e conexão social; bem-estar animal, o meio ambiente e até questões de guerra e paz. Esses são problemas interconectados”, avalia Campbell, acrescentando que a alimentação pode ter um poderoso papel no tratamento da depressão.

Referência

Campbell, Thomas. Diet to Fight Depression? T. Colin Campbell Center for Nutrition Studies (2015).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here