Documentário com Jerome Flynn aborda a não violência para todos os seres

Ativista Dolly Vyas-Ahuja retorna à sua terra natal com os olhos abertos para a crueldade animal e empenha-se em ampliar na Índia a defesa da 'ahimsa'

A produtora e ativista Dolly Vyas-Ahuja e o ator Jerome Flynn, que também é produtor-executivo de ‘The Land of Ahimsa’

Com participação e produção-executiva do ator Jerome Flynn, mais conhecido no Brasil por interpretar Bronn na série da HBO ‘Game of Thrones’, o documentário de longa-metragem ‘The Land of Ahimsa”, com direção de Aryeman Ramsay, narra a jornada de Dolly Vyas-Ahuja para se tornar vegana e defender a não violência para todos os seres sencientes.

Cinco anos após sua transição para o veganismo, ela retorna à sua terra natal com os olhos abertos para a crueldade animal e empenha-se em ampliar na Índia a defesa da ‘ahimsa’.

Segundo Dolly, o objetivo é inspirar e encorajar a transição dos indianos para o veganismo, mostrando-lhes como é fácil. “Os indianos estão despertando para a verdade de que todos os animais são espécies que merecem viver.”

A ativista tem usado sua voz para expor a crueldade na indústria de laticínios, educando por meio de suas apresentações em eventos na Índia e nos EUA. “Mostraremos aos espectadores como é acessível praticar a ‘ahimsa’ em suas vidas diárias”, frisa.

“Com a esperança de que isso ressoe no mundo. Ao alcançar o verdadeiro significado da palavra, somos capazes de criar um mundo não violento que aliviará o sofrimento de todos os seres vivos, melhorará nossa saúde e bem-estar e nos permitirá viver em um ambiente limpo.”

‘The Land of Ahimsa’ mostra ativistas, santuários, cientistas, médicos, empreendedores e atletas como uma forma diversa de “ilustrar” na Índia a importância da ‘ahimsa’, ou seja, a não violência para todos os seres.

No documentário, Dolly relaciona sua experiência com a de seu avô, que foi um defensor da liberdade e marchou ao lado de Gandhi para libertar a Índia do domínio britânico. “Meu avô conheceu Mahatma Gandhi logo após sua formatura na faculdade, por volta de 1918. Ele foi seu discípulo por vários anos e o primeiro a se inscrever para a Marcha do Sal. Ele passou três meses na prisão com Gandhi lutando pela liberdade da Índia.”

Já ‘Land of Ahimsa’ destaca a força da ativista na luta por justiça para todos os seres por meio da Marcha da Libertação Animal.

“Depois de assistir ao filme, esperamos que os espectadores se sintam motivados a optarem pela paz em vez da violência e a lutar contra as injustiças. Além disso, esperamos inspirar os espectadores a buscarem a verdade e a desafiar indústrias e corporações que mentem e enganam consumidores para lucrarem matando seres sencientes.”

Dolly Vyas-Ahuja espera que ao assistir ao filme os espectadores sintam-se motivados e empoderados a mudarem o mundo, começando pela comida que consomem até a maneira como tratam os outros. “Todo mundo tem um ativista interior que busca a verdade e a justiça e esperamos que o filme traga essa voz interior.”

Durante suas férias de verão na Índia, quando tinha 13 anos, Dolly foi questionada pelo avô se ela era vegetariana. “Eu estava com medo de responder a verdade e disse que sim. Ele então me perguntou o que significa ahimsa. Quando criança, eu não entendia, mas ele me disse: ‘Ahimsa significa não violência para todos os seres vivos’”, relata.

E continua: “A palavra ahimsa nunca teve impacto em mim, até que acordei aos 45 anos e percebi o que ele estava tentando me ensinar. Fiz como minha missão iniciar um movimento de justiça social de não violência para todos os seres, assim como Gandhi e meu avô acreditavam e falavam.”

O filme deve ser disponibilizado por streaming em breve.

Saiba Mais

A produção-executiva do filme também é assinada por Dr. Sailesh Rao (‘Cowspiracy’, ‘What the Health’ e ‘Prayer for Compassion’).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here