Greta Thunberg explica por que devemos parar de comer animais

Em vídeo de cinco minutos lançado hoje (22), ativista sueca destaca importância de adotarmos uma alimentação à base de vegetais

Greta lembra ainda que, por meio da pecuária, matamos por ano mais de 60 bilhões de animais – principalmente aves, suínos e bovinos (Imagem: For Nature/MFA/Reprodução)

Em “For Nature”, um vídeo lançado neste sábado (22) pela organização Mercy For Animals (MFA), e com duração de cinco minutos, a ativista pelo clima Greta Thunberg explica por que devemos parar de comer animais.

Referenciando dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), Greta destaca que 75% das novas doenças infecciosas que atingem seres humanos vêm de outros animais, e que isso tem relação com a criação de animais para consumo e com a forma como lidamos com a natureza.

“Derrubando florestas e destruindo habitats, estamos criando as condições perfeitas para as doenças saltarem de um animal para outro e chegarem até nós. A próxima pandemia pode ser muito pior, mas podemos mudar”, sugere a ativista.

Ela cita que 83% da agricultura mundial é voltada à produção de alimentos para animais que serão criados e mortos para consumo. Ainda assim, os alimentos de origem animal respondem por apenas 18% das calorias diárias da população global.

Hoje a cadeia produtiva de carnes e laticínios ocupa uma área equivalente à América do Norte e do Sul, segundo “For Nature”. “Do Alasca a Tierra Del Fuego. Nós industrializamos vidas na Terra”, diz Greta Thunberg.

“Se continuarmos produzindo comida dessa forma, destruiremos mais habitats de plantas e animais silvestres, e um número incontável de espécies serão extintas.” Greta frisa que essas espécies são importantes para o equilíbrio dos ecossistemas, e se nós as perdermos, estaremos perdidos.

“Isso é absurdo e não tem que continuar assim”

O fato de um quarto das nossas emissões de gases de efeito estufa estar associado à agricultura industrial e uso excessivo da terra é qualificado em “For Nature” como inaceitável.

“Isso é absurdo e não tem que continuar a ser assim”, lamenta Greta, sugerindo uma transição para uma dieta à base de vegetais, assim evitando as emissões de oito bilhões de toneladas de carbono por ano, de acordo com dados citados com base na revista Science.

A mesma publicação citada no documentário aponta que podemos nos alimentar utilizando 76% menos terra, e assim a natureza pode se regenerar. “O sistema precisa mudar. Quando protegemos a natureza, a natureza nos protege”, alerta a jovem ativista sueca.

Greta lembra ainda que, por meio da pecuária, matamos por ano mais de 60 bilhões de animais – principalmente aves, suínos e bovinos. Além disso, 70% dos animais são criados em sistema intensivo, ou seja, confinados. “Nos EUA, o total chega a 99% e suas vidas são curtas e terríveis. É de partir o coração, mas sabemos o que precisamos fazer”, reforça Greta Thunberg.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here