Earth Crisis, hardcore contra a exploração animal

"Não posso pensar em nada mais importante do que salvar vidas, e esta é a principal razão pela qual me tornei vegano"

Por abordar o abolicionismo animal e por defender ações diretas em benefício dos animais, o Earth Crisis está há anos sob vigilância nos Estados Unidos (Foto: Divulgação)

Fundada em Syracuse, Nova York, em 1989, a banda Earth Crisis, de hardcore punk/metalcore, é conhecida principalmente por abordar os direitos animais, dar suporte a grupos como Animal Liberation Front (ALF) e ajudar a promover o veganismo e o estilo de vida straight edge.

“Não posso pensar em nada mais importante do que salvar vidas”

Em entrevista a Max Deneau, do Exclaim!, do Canadá, e publicada em 15 de abril de 2009, o guitarrista Scott Crouse contou que originalmente o vocalista Karl Buechner tocava baixo, e que desde o início todos os integrantes já eram veganos e seguiam um estilo de vida livre de álcool e outras drogas lícitas e ilícitas.

“Não posso pensar em nada mais importante do que salvar vidas, e esta é a principal razão pela qual me tornei vegano. Quero apoiar as empresas que estão oferecendo alternativas livres de crueldade. Não quero dar dinheiro para pessoas que são responsáveis por tanto sofrimento em lugares como matadouros, fazendas de peles e laboratórios de vivissecção”, disse o vocalista Karl Buechner em entrevista ao zine Value Of Strength #4 e publicada no Punk Interviews em 2006.

Muitos não querem saber o que ocorre nos matadouros

Para Buechner o veganismo, que ele aderiu aos 16 anos, reverencia as vidas inocentes e preconiza a construção de um sistema mais pacífico e justo. Uma das coisas que mais o deixa feliz é quando alguém lhe procura para tirar dúvidas sobre direitos animais.

“Significa que estão interessados em saber mais sobre a libertação animal. Há muitos rumores a nosso respeito, na tentativa de fazer as pessoas não ouvirem o que estamos falando, mas vejo como uma reação positiva quando alguém nos procura ou faz uma entrevista com a gente”, comenta.

Por outro lado, o vocalista do Earth Crisis reclama que no cenário punk há muitas pessoas desinteressadas em saber o que ocorre nos matadouros. “Eles não querem ouvir sobre isso porque é algo que desafia a forma como eles vivem”, critica.

Banda sob vigilância nos EUA

Por abordar o abolicionismo animal e por defender ações diretas em benefício dos animais, o Earth Crisis está há anos sob vigilância nos Estados Unidos. “Muitos dos nossos amigos também”, garante Karl Buechner.

Em entrevista a Andrew Bansal, do Metal Assault, publicada em 17 de março de 2014, o guitarrista Scott Crouse disse que o mundo mudou desde que ele se tornou vegetariano em 1990. “Há muitos produtos lá fora para quem quer evitar causar sofrimento aos animais e danos ao meio ambiente. Há muitos substitutos de carnes e laticínios, e há mais produtos não testados em animais do que nunca. Acho que é ótimo porque significa que hoje existe muito mais consciência”, avalia.

Porém, as espécies ameaçadas de extinção continuam desaparecendo, e isto porque, segundo Crouse, a humanidade sempre olhou primeiro para si mesma. Lá trás, alguém pensou que o ser humano deveria assumir o controle do mundo e fazer o que quisesse com as outras espécies.

Para que o mundo mude, perspectivas tem que mudar

“Para que o mundo mude, a perspectiva tem que mudar. Temos que olhar para nós não como se estivéssemos acima das outras criaturas, mas como alguém que pode trabalhar em harmonia com elas. Ainda podemos ter nossas casas e nossos carros, só que podemos fazer isso com responsabilidade, sem destruir o habitat das outras criaturas. Acho que teremos problemas até começarmos a nutrir a vida, não tirá-la”, lamenta.

A Dane Prokofiev, do News Noise Magazine, Scott Crouse relatou que o único aspecto negativo em ser vegano e straight edge é que consumir álcool e comer carne são duas coisas que as pessoas fazem socialmente. “Você se afasta da sociedade, o que em minha opinião não é tão ruim. Quero dizer, prefiro isso, mas é mais difícil para pessoas que gostam de estar com outras pessoas, porque elas percebem que já não se encaixam”, enfatiza.

Muitas das músicas do Earth Crisis falam de direitos animais. Alguns exemplos são “New Ethic”, do álbum “Destroy The Machines”, de 1995, e “To The Death”, do álbum homônimo de 2009.

Nova Ética

Esta é a nova ética

Animais têm suas próprias vidas e devem ser respeitados

Rejeite o antropocentrismo

Falsidade que mantém a hierarquia opressiva da humanidade sobre os animais

É hora de libertá-los. A vida deles reduzidas à condição de máquinas em fábricas, fazendas e laboratórios

Laticínios, ovos, peles, camurça, lã, couro são o fim

Produtos de tortura, confinamento e assassinato

Eu abjuro seu uso em reverência a toda vida inocente

É um direito dos selvagens viverem em paz em seu ambiente natural

Sem a interferência, que já não deve ser negada, desta civilização

Para fazer uma civilização digna da palavra civilizado a crueldade deve terminar

Começando pelas suas próprias vidas

Rejeite a falsidade antropocêntrica que mantém a hierarquia opressiva da humanidade sobre os animais

É hora de libertá-los

O veganismo é a essência da compaixão e da convivência pacífica

Os animais não são nossos para abusar ou dominar

Eu abjuro seu uso em reverência…

Eu abjuro seu uso em reverência…

Eu abjuro seu uso em reverência a toda vida inocente

Formação Atual

Karl Buechner – vocal
Scott Crouse – guitarra
Ian “Bulldog” Edwards – baixo
Dennis Merrick – bateria
Erick Edwards – guitarra

Saiba Mais

Entre os anos de 1995 e 2014, o Earth Crisis lançou os álbuns “Destroy The Machines”, “Gomorrah’s Season Ends”, “Breed the Killers”, “Slither”, “Last of the Sane”, “To The Death”, “Neutralize the Threat” e “Salvation of Innocents”.

Referências

http://exclaim.ca/music/article/scott_crouse_of_earth_crisis

In-depth Interview With Earth Crisis Guitarist Scott Crouse

Interview: Earth Crisis Talk About Their Comic Book & New Album





DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here