Kajuru: “Principal causa do desmatamento no Cerrado é a agropecuária”

Depois da Mata Atlântica, o Cerrado é o bioma brasileiro que mais foi castigado pela intervenção humana

“A principal causa de desmatamento no Cerrado é a expansão da agropecuária sobre a vegetação nativa” (Fotos: Agência Senado/Marizilda Cruppe/Greenpeace)

Quando se fala na associação entre desmatamento e expansão da agropecuária no Brasil, os holofotes quase sempre se voltam para a Amazônia, mas e quanto aos outros biomas? No Brasil, não é apenas a floresta amazônica que amarga as consequências da perda acentuada de vegetação nativa.

O Cerrado, por exemplo, perde área equivalente a uma cidade de São Paulo a cada 90 dias, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Além disso, metade da área original do bioma passou a ser ocupada pela agropecuária, conforme levantamento também reforçado pelo WWF-Brasil.

Constatações como essa deveriam fazer políticos voltarem mais sua atenção para o Cerrado, que integra estados como Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Piauí, Rondônia, São Paulo e Tocantins, além do Distrito Federal.

Preocupação com a expansão agropecuária

Hoje uma das poucas iniciativas que revela preocupação com a expansão da agropecuária no bioma que, depois da Mata Atlântica, é o segundo que mais sofreu com a intervenção humana, é o Projeto de lei (PL) 1.459/2019, de autoria do senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO).

Ele defende a importância de se elevar a área de Reserva Legal dos imóveis rurais no Cerrado para 35%, não apenas 20% como está em vigência hoje.

“É a savana de maior diversidade de espécies do planeta: concentra 30% da biodiversidade brasileira. É considerada um hotspot mundial de biodiversidade: ambiente de elevada riqueza de espécies, mas perigosamente ameaçado pela perda de habitats.”

Suspensão das autorizações de desmatamento 

De acordo com o próprio Ministério do Meio Ambiente (MMA), cerca de 20% das espécies nativas e endêmicas do Cerrado não têm seus hábitats protegidos, e pelo menos 137 espécies de sua fauna estão ameaçadas de extinção.

Já no Projeto de Lei 4.203/2019, Kajuru cobra a suspensão das autorizações de desmatamento do bioma por pelo menos dez anos.

“O Brasil destruiu 278.894 km² do bioma Cerrado de 2001 a 2018. A área de vegetação suprimida apenas nesse intervalo de tempo é maior do que o Tocantins. As taxas de desmatamento no Cerrado superaram as da Amazônia em 29% no período, e o percentual da área total desmatada no bioma foi 2,7 vezes maior do que o da área desmatada da Amazônia”, justifica Kajuru.

E acrescenta: “A principal causa de desmatamento no Cerrado é a expansão da agropecuária sobre a vegetação nativa.”

Resistência da Bancada Ruralista

Vale lembrar que iniciativas como a do senador Jorge Kajuru têm enfrentado forte resistência no Congresso Nacional, por parte de políticos ligados à Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), também conhecida como Bancada Ruralista.

Exemplo disso é que em fevereiro deste ano o senador e relator Izalci Lucas (PSDB-DF) emitiu parecer contrário aos dois projetos na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária.

No momento, as propostas aguardam avaliação da Comissão de Meio Ambiente (CRA), para onde foram enviadas em março. Ou seja, há seis meses.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here