Economia

Mercado vegano é impulsionado por consumidores com 18 a 45 anos

Foto: iStock

Não é novidade que o lançamento de produtos veganos tem crescido a cada ano no mundo e atraído também quem não se identifica nem como vegano ou vegetariano.

No entanto, é evidente tanto nos EUA quanto na Inglaterra ou no Brasil que quem opta por esses produtos normalmente está mais inclinado às preocupações que envolvem bem-estar animal e meio ambiente.

Além disso, há uma maior associação de produtos veganos com consumo consciente, mais qualidade e saúde, já que os consumidores desses produtos tendem a dar mais importância à composição e origem do que consomem.

Uma pesquisa concluída este mês pela Fact.MR confirma essa percepção e ainda informa que o mercado global de produtos veganos deve estar preparado para atender a uma grande demanda no período de 2021-2031.

Hoje, os principais impulsionadores desse mercado são pessoas com 18 a 45 anos, que respondem por 75% do consumo global de produtos veganos.

“Está chegando a toda a cadeia alimentícia”

A pesquisa também revela que a pandemia de covid-19 motivou pelo menos 15% dos consumidores entrevistados a recuarem no consumo de alimentos de origem animal por preocupações com a saúde e associação com o surgimento e intensificação das doenças zoonóticas.

A Fact.MR cita que nos EUA, no Brasil e na Inglaterra é possível encontrar escolas oferecendo refeições veganas, o que é resultado de uma mudança de consciência que tende a intensificar-se cada vez mais globalmente. “É uma mudança que está ocorrendo em muitas partes do mundo”, enfatiza.

A empresa de análise de mercado avalia que o mercado de produtos veganos está se expandindo de uma forma a não se limitar mais aos segmentos que o tornaram mais conhecido nos últimos anos. “Está chegando a toda a cadeia alimentícia”, aponta em referência ao fato de que hoje há um emergente mercado de ingredientes veganos para atender todos os segmentos da indústria alimentícia.

Segundo a Fact.MR, as vendas de proteínas veganas estão crescendo quase 14% ao ano. “A transição para produtos veganos também é visível na lucrativa categoria de suplementos, que está conquistando mais espaço nas prateleiras.”

Outro ponto de destaque é que a demanda global por ingredientes veganos para panificação também tem crescido nos últimos cinco anos.

David Arioch

Jornalista e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário (MTB: 10612/PR)

Posts Recentes

A dor de ser bacon

Quando chegou em casa para o almoço, encontrou um porco na cozinha. Corpulento, ia de…

1 hora ago

Queda na criação de aves estimula grupo avícola a investir em proteínas vegetais

A Louis Dreyfus Company (LDC), maior grupo avícola da França, anunciou este mês que estima…

22 horas ago

Aveda é reconhecida como marca livre de crueldade animal pela CFI

De acordo com informações da organização Cruelty Free International (CFI), a fabricante de cosméticos Aveda…

22 horas ago

PL que cria regime jurídico especial para os animais aguarda votação

O PL 6045/2019, dos deputados federais Ricardo Izar (Republicanos-SP) e Weliton Prado (Pros-MG), que propõe…

23 horas ago

Por que nunca mais comeu frango

Colocou um frango resfriado na cesta e sentiu líquido viscoso. Fez cara de nojo. Trocou…

1 dia ago

Serena Williams e Jake Gyllenhaal trocam ovo de galinha por ovo vegetal

A tenista Serena Williams e o ator Jake Gyllenhaal estão incentivando o consumo do ovo…

2 dias ago