Organizações fazem apelo para que consumidores não comam peixes

Pedido faz parte de uma campanha que chama atenção para o impacto da pesca comercial no ecossistema marinho

“Os animais aquáticos são essenciais para manter nossos ecossistemas marinhos saudáveis e estão sob enorme ameaça das atividades humanas” (Foto: Acervo The Humane League)

Em carta aberta, mais de 20 organizações estão fazendo um apelo para que consumidores do mundo todo deixem de comer peixes. Uma iniciativa do Aquatic Life Institute, o pedido faz parte de uma campanha que chama atenção para o impacto da pesca comercial no ecossistema marinho.

“Os animais aquáticos são essenciais para manter nossos ecossistemas marinhos saudáveis e estão sob enorme ameaça das atividades humanas, como a piscicultura intensiva e a pesca em escala industrial”, argumenta a entidade, acrescentando que 93,8% das espécies-alvo da pesca no mundo todo já são capturadas em volume insustentável.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), a pesca comercial está reduzindo a abundância de espécies de peixes e comprometendo o potencial de desova e os parâmetros populacionais – incluindo crescimento e maturação.

A capacidade reprodutiva dos peixes também tem sido afetada pela prática, assim como processos ecológicos em larga escala. O impacto geral da atividade é comparado ao da agropecuária desde a década de 1990, embora não tenha recebido muita atenção.

Espécies ameaçadas e solução

De acordo com a atualização da Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN em inglês), mais 154 espécies de tubarões, raias e quimeras estão ameaçadas de extinção, elevando o total para 316 em comparação com 2014.

Os números associados ao impacto da pesca comercial incluem quatro espécies de tubarão-martelo, quatro de tubarão-anjo e também a raia-manta gigante.

“Soluções existem. Em primeiro lugar, como consumidores, temos opções e um imenso poder de compra em nossas mãos. Para os indivíduos que estão em posição de fazê-lo, devemos absolutamente encerrar ou reduzir drasticamente nosso consumo de produtos provenientes de animais aquáticos”, sugere a Aquatic Life na carta aberta assinada por outras 22 entidades que apoiam a preservação da vida marinha.

Saibas Mais

Segundo o Aquatic Life, peixes criados em cativeiro não são uma solução porque muitos desses animais são alimentados com espécies marinhas.

Para quem acha que a solução então seria consumir peixes não marinhos, vale considerar também que peixes, independente de origem, podem sentir tanta dor quanto os mamíferos – clique aqui para saber mais.

Os oceanos têm condições de absorver até 93% do gás carbônico do planeta. No entanto, essa capacidade tem sido prejudicada pelas ações humanas.

Carta aberta

A carta aberta é assinada por Compassion in World Farming, Fish Welfare Initiative, Fundación Vegetarianos Hoy, Conservative Animal Welfare, Animal Nepal, The Humane League, Equalia, Mercy for Animals, Montreal SPCA, Alianima, Essere Animali, Asociación para el rescate y bienestar de los animales, Protección Animal Ecuador, Sibanye TrustA Plastic Ocean Foundation, OceanHero.today, Advocating Wild , Change For Animals Foundation, Sinergia Animal, Nurture Imvelo, Humane Society International e Catholic Concern for Animals.

Para saber mais sobre o impacto da pesca no meio ambiente, clique aqui. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here