Categorias: Notícias

Queda na criação de aves estimula grupo avícola a investir em proteínas vegetais

A Louis Dreyfus Company (LDC) é o maior grupo avícola da França (Foto: L214)

A Louis Dreyfus Company (LDC), maior grupo avícola da França, anunciou este mês que estima uma redução de pelo menos 15% na criação de aves em 2022, em consequência de problemas como gripe aviária e aumento dos custos dos grãos usados na alimentação de frangos.

Diante dessa realidade, o grupo está investindo em outros mercados, como a produção de proteínas vegetais. Recentemente a empresa liderou uma rodada de financiamento de US$ 26 milhões para a Good Catch Foods, dos EUA, especializada em alternativas aos peixes e frutos do mar a partir de ingredientes vegetais.

“Entraremos no mercado com uma primeira linha de proteínas vegetais não transgênicas até o final de 2022, com foco inicial na América do Norte, com o objetivo de oferecer aos clientes globais um portfólio multiuso de produtos e soluções de aplicação”, disse o diretor de Estratégia da LDC, Thomas Couteaudier.

Além disso, com a crescente demanda por alternativas aos alimentos de origem animal, a LDC avalia que investir em proteínas de origem vegetal, que é um mercado ao qual diz pretender se alinhar cada vez mais, pode fazer com que a empresa amplie seus lucros em 40% nos próximos quatro anos.

“Nossa ambição é acompanhar o movimento flexitariano com o objetivo de atingir 10 mil toneladas de produtos (das três mil toneladas atuais) até 2026, e 60 milhões de euros em vendas, apenas por meio de crescimento orgânico”, afirmou o novo presidente-executivo da LDC, Philippe Gelina.

Para o cofundador da Good Catch, Chris Kerr, o investimento da LDC é um complemento perfeito para oportunizar uma maior produção de alimentos à base de vegetais, além de criar oportunidades de colaboração entre as duas empresas visando maior crescimento do mercado de proteínas alternativas.

Em entrevista à Live Kindly em 2019, Kerr declarou que sua maior ambição é salvar um bilhão de animais antes de morrer, e que por isso decidiu apostar no mercado de proteínas alternativas.

“Cada um de nós pode dar pequenos passos em direção a um mundo melhor. Quando reunimos coletivamente milhares ou milhões de pequenos passos, estamos dando um salto enorme em direção a um mundo melhor (e esperamos salvá-lo).”

Vale lembrar que em maio de 2020 o ator vegano Woody Harrelson e sua esposa Laura tornaram-se investidores da Good Catch.

“Sou vegano há mais de 30 anos. Estou empolgado em trabalhar com uma marca de alimentos que tem bom gosto e se alinha às minhas crenças de fazer a diferença para os animais e para o nosso planeta”, explicou Harrelson em um release da Good Catch.

 

Gosta do trabalho da Vegazeta? Colabore realizando uma doação de qualquer valor clicando no botão abaixo: 

David Arioch

Jornalista e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário (MTB: 10612/PR)

Posts Recentes

O que é a carne?

O que é a carne? Sempre que falamos em carne é mais comum uma primeira…

17 horas ago

Como a violação sexual de animais pode ser normalizada?

Como a violação sexual de animais pode ser institucionalizada e normalizada? Quando fala-se em “reprodução…

2 dias ago

Por que comemos criaturas de vontades?

Não é difícil olhar para um animal e reconhecê-lo como criatura de vontades, porque seu…

3 dias ago

Quem se importa com o sofrimento dos frangos?

No Brasil, há sempre mais frangos sendo transportados para os matadouros do que bovinos e…

4 dias ago

Brasília: Picnik Festival terá área vegana coordenada mais uma vez pela FALA

Em uma edição especial no mês das tradicionais festas juninas, o Picnik Festival terá novamente…

4 dias ago

SP: VegNice realiza mais uma Festa Junina Vegana

No domingo (26), o bairro da Liberdade, em São Paulo (SP), recebe mais uma Festa…

4 dias ago