Categorias: Notícias

Mel produzido sem abelhas chega ao mercado no final do ano

MeliBio realizou uma degustação de seu produto em Berkeley, na Califórnia (Foto: Divulgação)

A startup californiana MeliBio, que usa tecnologia proprietária para produzir mel sem abelhas, ofereceu a primeira degustação de seu produto para 100 pessoas no Cell Valley Labs, uma incubadora em Berkeley, conforme comunicado divulgado neste mês de outubro.

O mel chega ao mercado por meio de food service no final de 2021. “A MeliBio foi fundada com a missão de produzir alimentos para ajudar a salvar nosso planeta, acabando com o uso de abelhas na produção de mel e, assim, ajudando a restaurar a sua biodiversidade”, diz o CEO e cofundador Darko Mandich.

Ele acrescenta que os avanços científicos permitiram produzir um dos alimentos favoritos da humanidade sem o uso de animais.

“O mel é um ingrediente encontrado em todas as categorias de produtos, de alimentos a bebidas e itens de higiene pessoal, para os quais a MeliBio agora oferece uma opção à base de vegetais”, garante Mandich.

“Ao levar para o mercado um mel delicioso, nutritivo e verdadeiro feito sem abelhas, estamos moldando nosso presente e futuro de uma forma que seja melhor para as abelhas e para os humanos.”

Investimentos e alcance

A startup cita que o atual sistema de produção de mel é insustentável, e não apenas por gerar grande dependência em relação às abelhas, mas também por expulsar muitas espécies nativas e silvestres de seus habitats.

“Além disso, a cadeia de suprimento global de mel enfrenta dificuldades em acompanhar a demanda, com as recentes colheitas de mel sendo fortemente afetadas pelas mudanças climáticas, causando baixos rendimentos de mel e volatilidade de preços.”

Fundada em 2020, a MeliBio já arrecadou US$ 1,5 milhão em investimentos, e hoje tem atraído investidores não apenas dos EUA, mas também da Europa, Ásia e Austrália.

“Estamos entusiasmados em ter o apoio dos investidores que acreditam no mundo que nossa empresa quer criar. Esse mundo é o lugar onde os alimentos mais saborosos e nutritivos estão ao alcance de todos, mas não ao custo da sustentabilidade do nosso planeta”, reforça Darko Mandich.

Gosta do trabalho da Vegazeta? Colabore realizando uma doação de qualquer valor clicando no botão abaixo: 

David Arioch

Jornalista e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário (MTB: 10612/PR)

Posts Recentes

Vendas de leites vegetais podem quase triplicar até 2031

De acordo com um relatório da Fact.MR divulgado nesta terça-feira (16), as vendas globais de…

1 hora ago

Zona leste de SP terá feira vegana no dia 28

No dia 28, Dia Mundial pelo Fim do Especismo, das 12h às 20h, será realizado…

2 horas ago

Preocupação com o meio ambiente não deve ser apenas sobre nós

É importante a conscientização sobre as mudanças climáticas e impactos ambientais associados ou não à…

4 horas ago

Sue Coe: “Animais criados para consumo são estuprados toda vez que são inseminados”

Em um vídeo com duração de cinco minutos disponibilizado pela revista ArtForum com a artista…

24 horas ago

Santuário Filhos da Luz precisa de ajuda para não fechar as portas

O Santuário Filhos da Luz, de Tramandaí (RS), que abriga mais de 300 animais, entre…

1 dia ago

Museu Mineiro recebe festival vegano no dia 21

No domingo (21), das 11h às 18h, o festival vegano Paraíso Veg será no Museu…

1 dia ago