Um caso estranho de frango que não queria morrer

Mas que frango quer morrer? Recebeu descarga elétrica na cuba e foi pra degola

(Foto: Andrew Skowron)

“É um caso estranho de frango que não queria morrer”, disseram. Mas que frango quer morrer? Recebeu descarga elétrica na cuba e foi pra degola. Se debateu com tanta força que se desprendeu. Antes de sentir a lâmina, caiu no chão, levantou e correu.

“Foi tão rápido que parece que a descarga nem fez efeito.” Quem viu disse que não viu e quem não viu disse o contrário. Quem sabe a razão? Desapareceu com seus três quilos. “Tinha um olho diferente do outro, penugem meio amarelada. Falaram que era vestígio de sujidade no caminhão, na caixa, mas vai saber…”

Quando recebeu a descarga ficou estranho – como se tivesse morrido sem morrer. “É do tipo mesmo. Cutuquei e nada. Nada de novo. Nada mesmo.” Só quando a lâmina chegou perto que ele balançou com força e caiu – é o que contam.

“Foi assim, foi sim.” Mas e no caminhão? “Chegou normal, igual todo frango. Descarregaram, tiraram da caixa – padrão mesmo da plataforma de recepção. Acho que eram 16 lá dentro.” E o que você percebeu de diferente?

“Nada, comportamento de frango. Não gosta que pega, mas tá ali pra isso, certo? Deram aquela lavada, colocaram na nória e foi pro atordoamento. Dali um pouquinho só faca, faca pra todo mundo no túnel. Só sangrando e sangrando, mas quando chegou a vez reagiu estranho. E depois, quem sabe? Acho que ninguém sabe.”

Procuraram pela linha de abate e um pouco além. “Sem sinal nenhum, nada, nada.” Uma mulher disse ter visto um frango atravessando um descampado em frente à avícola horas depois.

Um homem relatou que viu um frango no estacionamento, mas como era perto da plataforma de recepção não estranhou. Se era o mesmo? “Acho que sim.” Acho que não.” “Talvez.”

Opiniões são guiadas pela vontade ou pela realidade? “Mas lá dentro ninguém nunca mais viu, é o que posso dizer.” “Acredito que continua lá, onde ninguém mais pode ver.” Ou tenha existido apenas na consciência de um que virou consciência coletiva.

Gosta do trabalho da Vegazeta? Colabore realizando uma doação de qualquer valor clicando no botão abaixo: 




DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here