Esportes

Vegana há quase 40 anos, Weia Reinboud coleciona recordes no atletismo

“O veganismo é uma daquelas escolhas que você faz e nunca se arrepende” (Foto: Ed Turk)

Vegana há quase 40 anos, a atleta holandesa Weia Reinboud, de 71 anos, tem uma trajetória esportiva marcada por 40 recordes em modalidades como salto em altura, heptatlo e lançamento de dardo. Do total, 23 são recordes mundiais.

O mais recente foi garantido já na categoria acima de 70 anos, em que saltou 1,33 metro, segundo o Great Vegan Athletes. Em 2012, Weia obteve o recorde mundial na categoria com a marca de 1,46 metro. Além disso, este ano, bateu o recorde holandês em lançamento de dardo na sua categoria. Ainda assim, ela não está interessada em deixar o atletismo em breve.

Ao Viva La Vegan!, a atleta holandesa revelou que foi no início de 1982 que descobriu que a produção de leite também envolve abate de animais. Por isso, decidiu não consumir mais laticínios, que ela acreditava que fossem produzidos de forma pacífica.

“Aprendemos que, para ter produtos lácteos o abate é necessário [em referência ao descarte dos bezerros machos, considerados ‘um colateral’ da indústria leiteira]. O artigo sobre isso conclui que é necessário comer carne, mas concluímos o contrário”, explicou e acrescentou que a melhor forma de evitar contribuir com esse sistema é não consumindo leite nem derivados.

Vegana desde 1982

Mais tarde, Weia Reinboud também abdicou de outros produtos de origem animal, tornando-se vegana em setembro de 1982.

“Na época, não sabíamos que se chamava veganismo e que havia outros fazendo as mesmas escolhas. Logo aprendemos a conhecer alguns deles, havia apenas cerca de trinta [veganos] naquela época em nosso país.”

Os recordes de Weia Reinboud tornaram-se comuns quando ela começou a competir na categoria W50 (para mulheres com mais de 50 anos). Hoje, a atleta ainda mantém recordes nas categorias de 60, 65 e 70 no salto em altura e no heptatlo feminino.

“O veganismo é uma daquelas escolhas que você faz e nunca se arrepende. Quando você vê vacas em um pasto com úberes enormes, você pode dizer ‘desculpe, meninas, eu não sou a causa’. Além de ter outras vantagens, você tem uma pegada ecológica muito menor”, declarou Weia.

E acrescentou: “Não vejo nenhuma desvantagem [em ser vegana]. Você se sente feliz por viver de acordo com suas próprias escolhas e, mais importante, são escolhas éticas. O consumidor convencional busca a felicidade no ato de consumir, mas o consumidor ético consome menos e encontra mais felicidade! Este é o caso de todas as escolhas éticas e o veganismo é a maior delas.”

Gosta do trabalho da Vegazeta? Colabore realizando uma doação de qualquer valor clicando no botão abaixo: 

David Arioch

Jornalista e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário (MTB: 10612/PR)

Posts Recentes

Quanto vale a vida de um animal?

Viu um bezerro caído na estrada. “Foi atropelado?” Parou o carro e desceu. O animal…

2 semanas ago

Uma lâmina serve quanta violência no matadouro?

Ver um animal vivo e pouco depois observá-lo morto causou-lhe mal-estar. Estava ali para testemunhar…

3 semanas ago

Como os porcos vivem pouco

Não faz aniversário. Não passa de meio ano de vida. O que pode ser comemorado…

3 semanas ago

SP: Santuário Filhos de Shanti precisa de doações com urgência

Com sede em Pindamonhangaba (SP), o Santuário de Animais Filhos de Shanti está pedindo ajuda para arrecadar…

3 semanas ago

Mercado de alimentos veganos crescerá 42% até 2025

Um relatório da Business Research Company estima que o mercado de alimentos veganos crescerá 42%…

3 semanas ago

Novilha é enviada para santuário após escapar de matadouro em NY

Uma novilha que escapou este mês de um matadouro da cidade de Nova York foi…

3 semanas ago