Vida Veg já vendeu mais de um milhão de produtos veganos

“O veganismo é a nossa maior motivação e a questão ética animal foi o pontapé inicial da Vida Veg"

Atualmente os 34 produtos oferecidos pela Vida Veg estão em 600 pontos de venda do Brasil (Foto: Vida Veg/Divulgação)

Fundada em 2015, a marca de alimentos veganos Vida Veg , de Lavras (MG), já vendeu mais de um milhão de produtos no Brasil. A cada ano, o volume de oferta tem triplicado em resposta ao interesse do consumidor brasileiro por alimentos livres de ingredientes de origem animal. Entre as opções oferecidas estão iogurtes, leites, queijos, bebidas proteicas e sorvetes.

Em entrevista ao VEGAZETA, o diretor-executivo e um dos fundadores da Vida Veg, Anderson Rodrigues, conta que era vegetariano em transição para o veganismo quando decidiu investir nesse mercado, e o que o motivou foi a dificuldade de encontrar produtos sem ingredientes de origem animal.

“Há carência de muitos produtos veganos no mercado brasileiro. Se eu for citar aqui a lista é enorme [risos]. Eu e um sócio começamos com iogurtes veganos por ser um produto que não havia no mercado brasileiro e por ser uma categoria de produtos muito citada em nossa pesquisa de mercado”, explica.

A aceitação da primeira linha de iogurtes é qualificada por Rodrigues como bem positiva. “Além de veganos, os produtos atendem a intolerantes à lactose, alérgicos ao leite”, acrescenta. O que facilitou também é que eles já tinham o know-how.

Atualmente os 34 produtos oferecidos pela Vida Veg estão em 600 pontos de venda do Brasil, mas o objetivo agora é disponibilizá-los em grandes redes de supermercados, facilitando ainda mais o acesso. Inclusive interessados de qualquer parte do país podem entrar em contato com a empresa para revenda.

“Nós triplicamos o volume de produção de um ano para o outro desde 2015 até 2018 e temos a intenção de continuar triplicando. Já possibilitamos o acesso a mais de um milhão de unidades de produtos veganos no Brasil”, revela Anderson Rodrigues.

Hoje, o carro-chefe da marca, que há pouco tempo lançou o seu primeiro iogurte grego vegano, são os leites vegetais e iogurtes à base de coco e amêndoas. “Com certeza, ainda virão muitas novidades por aí”, promete o empresário que faz uma boa projeção em relação ao futuro.

A justificativa de Rodrigues é que cada vez mais as pessoas estão reavaliando seus hábitos de consumo, o que significa que os produtos veganos não são procurados apenas por veganos e vegetarianos:

“Temos consumidores que buscam uma alimentação mais saudável ou querem diminuir o consumo de produtos de origem animal, seja por questão ética ou sustentabilidade. O mercado vem crescendo muito e a demanda também, porque isso é uma consequência de mais acesso à informação por parte da população.”

Outro ponto que o fundador da Vida Veg faz questão de destacar é que a produção de alternativas veganas aos produtos lácteos está longe de ser apenas uma predileção motivada por uma lacuna no mercado.

“O veganismo é a nossa maior motivação e a questão ética animal foi o pontapé inicial da Vida Veg. A empresa nasceu com o ideal de facilitar o acesso a produtos veganos. Mesmo quem não é vegano, se essa pessoa deixar de consumir um produto de origem animal e consumir um produto Vida Veg, menos animais serão explorados e mortos”, argumenta.

4 COMENTÁRIOS

  1. O vegazeta poderia entrevistar ou postar com mais frequência links pertinentes aos produto/empresas no Brasil , tendo visto q já somos o quinto mercado consumidor do mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here