Categorias: Notícias

Benefício à saúde é critério na compra de produtos veganos

Foto: Pixabay

Uma pesquisa da Kerry divulgada esta semana revelou que no Brasil 67% dos consumidores que compram produtos veganos ou plant-based desejam melhorar a própria saúde ou de sua família, o que significa que esse tipo de benefício é um critério na hora de fazer compras.

Esse percentual é representado, em primeiro lugar, por consumidores que estão reduzindo o consumo de produtos de origem animal, segundo a Kerry.

A pesquisa também destaca que os flexitarianos, mesmo quando dizem que são motivados por questões de sustentabilidade, são mais críticos em relação ao sabor dos produtos do que os consumidores veganos e vegetarianos.

“Embora a sustentabilidade seja um fator importante, os consumidores não estão dispostos a renunciar ao sabor. Por isso, procuram produtos que sejam o mais próximo possível da experiência de sabor dos produtos de origem animal.”

Em relação às carnes vegetais que mimetizam alimentos de origem animal, a Kerry diz que a referência maior hoje ainda é a carne bovina. “Os consumidores querem produtos com maior suculência e uma ‘mordida’ que ofereça experiência mais próxima possível da carne”, destaca a pesquisa.

“Eles também estão procurando por características culinárias, como carbonização, que sinalizem que um hambúrguer está perfeitamente cozido e seguro para comer, e querem alternativas de carne com melhor valor nutricional.”

A diretora de marketing estratégico da Kerry, Fiona Sweeney, diz que a necessidade de uma ótima experiência de degustação é universal. “Com alimentos à base de vegetais muitas vezes escolhidos pelos consumidores como uma alternativa mais sustentável, garantir um sabor excelente pode ser uma entrada para fornecer soluções nutricionais inovadoras e sustentáveis ​​para consumidores em todo o mundo”, avalia.

Fiona também comenta sobre o fato de a pesquisa apontar que os flexitarianos são o principal grupo de consumidores que impulsiona globalmente a categoria de alimentos veganos ou à base de vegetais.

“Por ainda consumirem carne e laticínios, suas expectativas quanto ao sabor dos alimentos à base de vegetais são impulsionadas por essas experiências. A chave para o sucesso nesta categoria é que eles não apenas tenham um sabor bom, mas também melhor valor nutricional e sejam sustentáveis.”

Em março, a Kerry lançou no Brasil o KerryVeg, um ingrediente-base para a produção de sorvetes vegetais. Clique aqui para ler a matéria.

Saiba Mais

A pesquisa no Brasil faz parte de uma pesquisa também realizada nos EUA, Reino Unido e Austrália, que contou com 1,5 mil participantes.

Gosta do trabalho da Vegazeta? Colabore realizando uma doação de qualquer valor clicando no botão abaixo: 

David Arioch

Jornalista e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário (MTB: 10612/PR)

Posts Recentes

Preocupação com o meio ambiente não deve ser apenas sobre nós

É importante a conscientização sobre as mudanças climáticas e impactos ambientais associados ou não à…

30 minutos ago

Sue Coe: “Animais criados para consumo são estuprados toda vez que são inseminados”

Em um vídeo com duração de cinco minutos disponibilizado pela revista ArtForum com a artista…

20 horas ago

Santuário Filhos da Luz precisa de ajuda para não fechar as portas

O Santuário Filhos da Luz, de Tramandaí (RS), que abriga mais de 300 animais, entre…

22 horas ago

Museu Mineiro recebe festival vegano no dia 21

No domingo (21), das 11h às 18h, o festival vegano Paraíso Veg será no Museu…

23 horas ago

Consumir proteína animal é financiar um sistema perverso

No Brasil, a ordem de consumo de animais é a seguinte: frangos, suínos e bovinos,…

1 dia ago

Toda hora tem boi a caminho da morte

Um percurso de criaturas pacíficas num momento pacífico? E vão lado a lado, como se…

2 dias ago