COP26: Ministra volta a afirmar que agropecuária é parte da solução para mudanças climáticas

Declaração foi feita no painel "Sustentabilidade da Agropecuária Brasileira", que também contou com a participação do ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite

Foto: Mapa

Em transmissão para a Conferência das Nações Unidas para Mudanças Climáticas (COP26), a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, voltou a afirmar esta semana que a agropecuária é parte da solução para mudanças climáticas e segurança alimentar.

A declaração foi feita no painel “Sustentabilidade da Agropecuária Brasileira”, que também contou com a participação do ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite.

De acordo com o Observatório do Clima, as emissões do rebanho por fermentação entérica – que é o arroto do boi – representam 17% de todos os gases de efeito estufa do Brasil em 2020. Além disso, mais de 70% do metano despejado na atmosfera no ano passado foi proveniente da pecuária.

Ainda assim, a ministra Tereza Cristina ressaltou durante a COP26 que o potencial transformador da agropecuária brasileira de baixa emissão de carbono é enorme. A declaração foi feita uma semana após o governo federal ser processado por negligência no combate às mudanças climáticas, e principalmente por consequências ambientais associadas à produção pecuária.

“Queremos compartilhar essa experiência com países de realidades semelhantes. Apenas com a disseminação das melhores práticas a todos os produtores poderemos colher os impactos positivos que a produção de alimentos, fibras e bioenergia pode ter”, declarou a ministra.

Em Glasgow, o secretário de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação, Fernando Camargo, disse que o Brasil irá recuperar mais de 30 milhões de hectares de pastagens degradadas como “forma de aumentar a produção sem promover desmatamento ilegal”.

Clique aqui para saber como a pecuária gera grandes problemas ambientais no Brasil.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here