É a vontade humana que submete os animais à imundície

Quando o caminhão parou em um semáforo, alguém reclamou do mau cheiro e torceu o nariz para os animais - como se fossem culpados

Foto: Unparalleled Suffering

Olhou os animais e o teto baixo do caminhão, que parecia reafirmação da compressão de uma vida miserável, e ainda não era o fim. A água suja que molhava e grudava nos cascos ia de um lado para o outro. “Só os cascos? Não. A sujidade atingia tudo, como se nenhuma parte do corpo pudesse ser intocada.”

Em alguns pontos, formava casca e imagens estranhas. “Vi um chão seco, tracejado, incapaz da brota de qualquer coisa que fosse. Não é assim com os animais em direção ao fim? O que pode brotar então?”

Os olhos intumescidos miravam lá fora. “Uma criatura perto de morrer assiste por tempo determinado a vida que não é sua. As coisas movem-se rapidamente onde ela não está, e ali dentro é como se tudo estivesse parado, menos a ansiedade e o temor.”

Quando o caminhão parou em um semáforo, alguém reclamou do mau cheiro e torceu o nariz para os animais – como se fossem culpados. Olharam com nojo para suas cabeças enlameadas. Outro fez piada da lama que formou um topete e outro apontou para a sujeira que caía das orelhas.

“Lembrei daqueles que riam e debochavam dos enviados para execução. Mas aqueles animais morreriam por qual tipo de condenação? O crime é inexistente. A justificativa é o imperativo do consumo.”

Também viam estranheza e desagrado aos olhos, não dominação e sofrimento. Incomodou-se com a ausência de reprovação. “Só reações de perpetuação do costume”, comentou.

“É uma viagem estranha ver a vida acontecer enquanto se é enviado para morrer. Os olhos agigantados recebem muitas imagens transitórias e recortadas. Então, em algumas horas, suas reações ao próprio estado e a tudo que viu desaparecem porque já não está aqui.”

Mais tarde, refletiu sobre o que os olhos apagados diziam. “Preciso mesmo dizer? Acredito que sempre podemos encontrar respostas dentro de nós, mas queremos?”

Gosta do trabalho da Vegazeta? Colabore realizando uma doação de qualquer valor clicando no botão abaixo: 




DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here