Falecida aos 94 anos, Cloris Leachman era vegetariana desde os anos 1950

“O direito dos cidadãos de documentar a crueldade contra os animais - onde quer que ocorra - é crucial"

 

Com uma carreira de 66 anos, Cloris também aproveitou sua visibilidade como atriz para defender os animais (Fotos: Getty/PETA)

Vencedora do Oscar, a atriz Cloris Leachman, que faleceu na quarta-feira (27) aos 94 anos, tornou-se vegetariana nos anos 1950, segundo a organização Pessoas Pelo Tratamento Ético dos Animais (PETA), com quem contribuiu participando de diversas campanhas em defesa dos animais.

Com uma carreira de 66 anos, aproveitou sua visibilidade como atriz para defender o direito dos cidadãos de denunciar a crueldade em fazendas e matadouros.

Em Iowa, seu estado natal, Cloris fez campanha contra um projeto de lei “ag-gag”, que, “considerando invasão de propriedade”, visava tornar crime o ato de cidadãos entrarem em fazendas e matadouros para recolher evidências denunciando a violência contra animais.

“O direito dos cidadãos de documentar a crueldade contra os animais – onde quer que ocorra – é crucial”, defendeu em um artigo de opinião para o HuffPost em 2011.

Em defesa de perus e animais aquáticos 

Cloris também tirou uma foto com um peru chamado Frank para um anúncio de Ação de Graças da PETA em que pedia que as pessoas os deixassem viver.

A atriz também participou de campanhas contra o uso de animais como entretenimento.

“Muitas orcas no SeaWorld têm sido confinadas por décadas em tanques. Elas são privadas de tudo que é natural e importante e são forçadas a nadarem em círculos, longe de suas famílias”, lamentou Cloris por meio de uma carta aberta em 2013, quando integrava o elenco da série Raising Hope.

“Não é de se admirar que as orcas do SeaWorld nunca tenham vivido o suficiente para morrer de velhice.”

Contra a exploração em circos e a favor da castração 

Anos atrás, Cloris Leachman também gravou um vídeo para a PETA contra a exploração de animais em circos e citando abusos contra elefantes doentes e com atrite no Ringling Bros. and Barnum & Bailey Circus, que em 2017 encerrou suas atividades.

“Eles são forçados a realizar truques circenses ridículos como ficar sobre as patas traseiras, o que coloca ainda mais pressão sobre as articulações doloridas. A crueldade é uma tradição que não precisamos”, disse.

Cloris Leachman ainda promoveu a castração de animais em outro vídeo para a PETA.

Saiba Mais

Cloris Leachman recebeu o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante em 1972 por sua interpretação em “A Última Sessão de Cinema”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here