Proteínas alternativas: Canadá aposta em megaprodução de ervilhas

Objetivo é produzir o maior volume da leguminosa com alta qualidade proteica que atenda aos mais diversos segmentos da indústria de alimentos à base de vegetais

(Fotos: Acervo Agricare)

O Canadá está investindo na consolidação da maior cooperativa de produção de ervilhas do mundo com o objetivo de atender à crescente demanda global por proteínas em substituição à carne.

Apostando na diversidade de tipos de ervilhas, o objetivo do grupo Protein Industries Canada é produzir o maior volume de leguminosas de alta qualidade proteica que atendam aos mais diversos segmentos da indústria de alimentos à base de vegetais.

Segundo o grupo, que em 2018 já contava com a participação de mais de 120 empresas, a meta é investir de forma colaborativa em projetos que possam proporcionar um diferencial na indústria alimentícia.

Desde a fundação, a iniciativa vem destacando que os consumidores estão cada vez mais interessados em alimentos de origem não animal, o que tem relação com o crescimento do número de veganos, vegetarianos e de pessoas que querem consumir cada vez menos carnes, laticínios, ovos, etc.

Canadá quer liderança global 

“É uma combinação de uma mudança no sistema de processamento, uma mudança na consciência do consumidor e também uma mudança de custos”, garante o grupo.

Para revolucionar a economia e aproximar o Canadá de uma posição de liderança global, a Protein Industries Canada, que conta com um grande número de cooperados, promete explorar o máximo possível do potencial nutritivo ainda pouco conhecido das ervilhas.

Vale lembrar que em junho o primeiro-ministro Justin Trudeau anunciou investimento equivalente a mais de R$ 500 milhões na produção de proteínas de origem vegetal, o que é um reflexo de como o governo canadense tem percebido o futuro promissor desse mercado.

Projeção alentadora para os próximos anos

Com previsão de crescimento sem precedentes para os próximos anos, a proteína de ervilha deve valer R$ 6,7 bilhões até 2025, com taxa de crescimento anual composta de 13,5%, segundo a empresa de pesquisa global de mercado Markets and Markets.

No Brasil, a proteína de ervilha, além do uso como suplemento esportivo em forma isolada, tem sido utilizada cada vez mais pela indústria alimentícia, incluindo produtos de panificação e carnes vegetais. O ingrediente passou a ser uma opção também em substituição à proteína de soja.

O crescimento da indústria de alimentos e bebidas em economias como a do Brasil, Índia, China e México, como consequência do aumento do consumo interno e da adoção de modernas tecnologias agrícolas, deverá impulsionar o crescimento do mercado de proteína de ervilha, de acordo com um relatório da Grand View Research.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here