Pesquisar
Close this search box.

Segundo estudo, proteína de batata pode ser aliada no ganho de massa muscular

De acordo com um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Maastricht, nos Países Baixos, e publicado no periódico Medicine & Science in Sports & Exercise, do American College of Sports Medicine, a proteína de batata pode ser uma aliada no ganho de massa muscular.

Embora as proteínas de origem vegetal tenham sido cada vez mais utilizadas como alternativas às proteínas de origem animal por atletas e esportistas, ainda há pouca informação disponível sobre as propriedades anabólicas da proteína derivada da batata.

Por isso, o estudo comparou as taxas de síntese de proteína muscular após a ingestão de 30 gramas de proteínas de batata em relação a 30 gramas de whey protein (proteína do soro do leite). Ou seja, uma proteína não convencional com uma proteína já convencional.

“As taxas de síntese de proteína muscular após a ingestão de 30 gramas de proteína de batata não diferem das taxas observadas após a ingestão de uma quantidade equivalente de whey protein”, frisa a publicação, o que significa que a proteína de batata pode ser uma nova alternativa para quem não quer suplementar com proteínas de origem animal.

“A ingestão de 30 gramas de proteína concentrada de batata aumenta as taxas de síntese de proteína muscular tanto em repouso quanto no pós-treino em homens jovens saudáveis. Para testar nossas hipóteses, avaliamos as taxas de síntese proteica muscular pós-absortiva e pós-prandial após a ingestão de 30 gramas de concentrado proteico derivado de batata ou leite após uma única sessão de exercício de resistência unilateral em 24 jovens saudáveis do sexo masculino.”

O estudo aponta que hoje ainda há resistência em relação aos efeitos das proteínas vegetais. No entanto, avalia que a contribuição das proteínas de origem vegetal serão muito maiores devido ao crescente interesse em dietas à base de vegetais e proteínas vegetais.

“A tendência de consumir uma dieta mais baseada em vegetais também atingiu a comunidade atlética, onde suplementos esportivos contendo soro de leite ou proteína de ovo agora são frequentemente trocados por suplementos que fornecem isolados ou concentrados de proteínas derivadas de vegetais.”

Os pesquisadores também chamam a atenção para a importância de mais estudos comparando as propriedades anabólicas das proteínas derivadas de animais versus vegetais.

“Anteriormente, identificamos o perfil de aminoácidos da proteína derivada da batata. A análise revelou uma composição AA da proteína da batata que se assemelha muito à proteína do leite”, destaca o estudo.

“A proteína da batata fornece quantidades suficientes de todos os aminoácidos essenciais individuais de acordo com os requisitos de AA da OMS/FAO/UNU, sem deficiências aparentes.”

Vale lembrar que a batata é a terceira cultura mais consumida no mundo e, embora contenha apenas 1,5% de proteína com base em seu peso fresco, quando usadas para extração de amido, sobra um resíduo (suco de batata), do qual pode-se extrair o concentrado de proteína de batata.

Jornalista (MTB: 10612/PR) e mestre em Estudos Culturais (UFMS).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *