Steve-O, um “jackass” que se tornou ativista dos direitos animais

"Levantar a bunda e ajudar os animais realmente faz a diferença”

“Cheguei à conclusão que sou muito mais feliz por praticar a compaixão” (Foto: Steve-O/Acervo Pessoal)

Stephen Gilchrist Glover, mais conhecido como Steve-O, conquistou popularidade internacional como um dos protagonistas da série de TV “Jackass”, em que sempre se destacava por fazer as mais improváveis estripulias. A oportunidade de fazer parte da equipe surgiu em 2000, mas o que permitiu que ele ingressasse na série foram os vídeos que enviou para a Big Brother Magazine, editada por Jeff Tramaine, diretor de “Jackass”.

Nos vídeos, Steve-O, um dublê graduado em artes circenses pela Ringling Bros. and Barnum & Bailey Clown College, aparece fazendo acrobacias e arte clown. Sua performance foi aprovada e ele foi selecionado para a série que lhe trouxe fama e muito dinheiro. Com o tempo, ele começou a ter problemas com drogas, chegando a entrar em depressão e pensar em suicídio.

“Enquanto eu estava usando cocaína e [óxido] nitroso por dias, comecei a escutar vozes me dizendo que eu teria que responder por minhas ações cruéis em algum momento no futuro. [Depois] ouvi um cara de conscientização Krishna em um vídeo no YouTube questionando: ‘Como você espera ser salvo se você come carne?’ Fiquei aterrorizado de ter que responder por todo o sofrimento que eu estava causando aos animais e imediatamente parei de comer carne”, publicou Steve-O em sua página pessoal. O homem citado por ele disse que é muito difícil para os ocidentais encontrarem a paz e a salvação porque eles tratam a vida na Terra de forma desrespeitosa.

A experiência trouxe à tona lembranças da juventude, de quando Steve-O trabalhou em um circo em 1997 e testemunhou a infelicidade dos animais confinados em jaulas, de acordo com um vídeo gravado em novembro de 2011 para a organização norueugesa NOAH – For Animal Rights. “Se alguém perguntar alguma coisa sobre abuso de animais, você não tem opinião, você não diz nada. Você é um palhaço, cale a boca”, confidenciou, citando as ordens dos proprietários do circo.

À época, isso o fez refletir, mas depois ele seguiu a sua vida. Essas memórias seriam resgatadas mais tarde, após o artista anunciar em agosto de 2009 que se tornou vegano:

“Cheguei à conclusão que sou muito mais feliz por praticar a compaixão. Quando me tornei vegano, eu estava limpo e sóbrio por um ano e cinco meses, e livre de cigarros por um ano. […] Desde então, tenho aprendido que uma dieta baseada na exploração animal é responsável pela esmagadora maioria dos casos de câncer, diabetes, obesidade, esclerose múltipla e outros tipos de problemas.”

Steve-O sentiu-se tão motivado pelo veganismo que começou a participar de campanhas contra a dissecação de sapos em salas de aula e contra o uso de animais em circos. Também fez campanhas contra maus-tratos em zoológicos e contra o uso de pele animal. Espontâneo, gerou controvérsia ao abandonar um jantar de arrecadação de fundos para diabéticos que trazia carne no menu.

Ele também narrou um vídeo para o Farm Sanctuary, uma organização estadunidense que resgata animais descartados por pecuaristas e pela indústria. “Estou contente de ter feito [o vídeo]. [Porém, aqui fora] não saio por aí dizendo que as pessoas não deveriam comer carne, porque não acho que seja realmente eficaz. Tento explicar como estou me beneficiando com esse estilo de vida vegano. Mas as pessoas trabalham duro para continuarem ignorantes. Se assistissem a esse vídeo que narrei, acho que muitas parariam de comer carne”, declarou à revista Rolling Stone em 1º de fevereiro de 2013 – em referência ao filme “What Came Before”.

Em um vídeo publicado pelo Change.Org no YouTube em 25 e abril de 2016, Steve-O declarou, logo após comer um veggie burger, que se tem uma coisa que ele aprendeu é que “levantar a bunda e ajudar os animais realmente faz a diferença”.

Em outubro de 2015, o artista foi preso por escalar um enorme guindaste em um protesto contra o parque SeaWorld, que realiza espetáculos com orcas criadas em cativeiro. Além de soltar fogos de artifício quando chegou ao topo, ele ergueu um balão gigante com a frase: “SeaWorld Sucks!”, algo como “SeaWorld é uma droga!” Mais tarde, Steve-O disse que o único ponto negativo da sua ação foi a mobilização da polícia e dos bombeiros, mas que, excetuando isso, ele fez o que era certo.

A ação teve repercussão mundial e, embora não seja possível dizer se o artista teve alguma influência nessa decisão, em março de 2016 o SeaWorld anunciou que não iria mais criar orcas em cativeiro. “Outra coisa que me preocupa é a conscientização sobre o resgate animal, o trabalho voluntário em abrigos. Na minha primeira vez, eu trouxe um gato para casa. E na segunda vez, eu trouxe um segundo gato, o que enriqueceu minha vida”, revelou em um vídeo gravado e publicado no YouTube pela organização Pessoas Pelo Tratamento Ético dos Animais (PETA) em 29 de agosto de 2016. Recentemente, Steve-O anunciou que vai abrir um santuário para animais.

 

Saiba Mais

Steve-O nasceu em 13 de junho de 1974 em Londres, na Inglaterra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here