Tolstói imaginava os animais livres do transporte de cargas e do arado

(Pintura: Ilya Repin)

Em 1887, Stepan Behrs registrou em uma carta que Tolstói, seu cunhado, ficou eufórico quando soube que máquinas estavam sendo desenvolvidas com o propósito de livrar os animais do transporte de cargas e do arado. Ele vislumbrou um cenário em que animais não sofreriam em decorrência de um esforço físico em benefício humano que custasse a redução de suas expectativas de vida. Isso foi há 132 anos.

Referência

Christian, R.F.. Tolstoy’s Letters: Volumes I & II. Charles Schriber’s Sons (1991).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here