Pantanal, mais um bioma sendo destruído pela pecuária

Como já apontado pela Polícia Federal, os primeiros focos começaram em áreas já ocupadas por fazendas na região

(Foto: Amanda Perobelli/Reuters)

Esta semana a Polícia Federal declarou que não há indicativo de que os incêndios florestais no Pantanal são acidentais, mas sim de associação com as queimadas decorrentes do desmatamento para formação de novas pastagens para criação de gado. A conclusão tem uma justificativa simples – os primeiros focos começaram em áreas já ocupadas por fazendas na região.

A história não é nova, e já se repetiu e vem se repetindo em vários biomas brasileiros onde a vegetação nativa há muito tempo é derrubada para a expansão da agropecuária. A Mata Atlântica e o Cerrado também conhecem bem essa realidade, e tudo indica que por enquanto até mais do que a Amazônia.

E claro, como já sabemos, no Brasil isso significa, além de mais pastagens, mais lavouras para produção de soja destinada à alimentação de animais criados para consumo, muitos “engordados” em outros países, incluindo os porcos na China e os frangos no Reino Unido, que vivem miseravelmente em confinamento desde o dia em que nascem até o dia em que morrem para tornarem-se pedaços de carne.

Violência ambiental sem prazo de chegar ao fim

Também é preciso destacar que desta vez o Pantanal atraiu mais atenção da opinião pública porque as consequências parecem mais visuais e estão sendo muito mais divulgadas, assim como quando o recorde de focos de incêndios na Amazônia em 2019 atraiu atenção de celebridades internacionais como Leonardo DiCaprio, Lewis Hamilton, Moby, entre outros.

Porém, não se engane, esse tipo de violência ambiental, que degrada a flora e a fauna, destruindo singulares espaços naturais e matando uma quantidade indefinida de animais silvestres, não tem prazo para chegar ao fim no Brasil, por maiores que sejam os esforços e boa vontade de muitos.

É importante entender que os incêndios no Pantanal não começaram há pouco tempo. Me recordo que em setembro de 2019 um grave incêndio florestal atravessou o Rio Aquidauana, no Mato Grosso do Sul, e com a força dos ventos e o tempo seco, se espalhou rapidamente pelo Refúgio Ecológico Caiman, de preservação de araras-azuis.

Pantanal já sofria antes dos atuais incêndios

Além disso, no ano passado, quando pouco se falava sobre a situação no Pantanal, apenas de janeiro a setembro, os incêndios aumentaram em 268% em relação a 2018 – totalizando 2.887 focos de queimadas, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Daqui algum tempo é provável que as pessoas já não falem tanto do Pantanal quanto agora, mas isso não significa que a situação estará “completamente resolvida”, até porque não há ano sem queimadas em decorrência da má intervenção humana. Porém, muitos tendem a acreditar que sim porque têm como baliza de gravidade o que mais atrai a atenção pública no momento.

Sem dúvida, podemos dizer, com base nos dados já citados, que o Pantanal antes mesmo dos alarmantes e mais atuais incêndios florestais já vinha perdendo grandes áreas de vegetação nativa para a agropecuária, assim como o Cerrado vem perdendo uma São Paulo a cada 90 dias.

Até quando financiaremos isso?

No entanto, se isso acontece de forma silenciosa, ou sem que as consequências provoquem um grande impacto visual, para muita gente é como se não fosse real, porque o apelo imagético sempre tem um grande poder de sugestão e, sem isso, muitas pessoas resistem a fazer qualquer tipo de conexão.

Mas hoje, a mais urgente, na minha opinião, é perceber como estamos testemunhando a destruição de mais um bioma em nome da agropecuária, uma cultura rural que só existe porque a financiamos sempre que nos alimentamos de animais.

2 COMENTÁRIOS

  1. Nunca, como agora, precisamos tanto de um Deus mais perto dos animais que sofrem, para que não sofram mais e nunca, como hoje, precisamos tanto de Sua Justiça punindo aqueles que os fazem sofrer, quem sabe chorando como eles choram e sofrendo como eles sofrem.

  2. Fora Dinossauro. Bolsa de Nero, bosta n’água. Ladrão descolorido da educação, assassino da Deusa Naturezarte. Tua arma de fogo não destrói nossa Alma de LUZ… FORA!🤑😷👹🧟💰💴💵💲💱💹💳💸💷💶

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here